A Altri é o Ferrari da bolsa Portuguesa!

Tiago Esteves

Após ter activado e atingido a projecção de um padrão de inversão, e quando já se antecipava um encerrar do seu bom momento, a Altri deu novamente a volta ao texto e arrancou para uma subida de 40% em menos de um mês. Para quem estava mais atento, esta subida foi anunciada de forma claríssima tanto no gráfico horário como no timeframe diário (tive inclusive oportunidade de identificar e alertar para esta inversão num dos webinários de Setembro). No timeframe horário é fácil de identificar um padrão de inversão complexo, que tinha como projecção mínima a zona dos 3,84€ mas que acabou por se prolongar (nesta imagem é omitida uma parte da fulgorante subida, porque dada a amplitude do movimento o padrão fica algo desfigurado).

De forma quase coincidente, o movimento de projecção do gráfico horário levou o título a quebrar em alta um padrão de inversão em V no timeframe diário! Este, por sua vez, com projecção nos 4.18€, mas que acabou uma vez mais por se prolongar de forma rápida e linear, como é bem visível na imagem.

Mas o melhor negócio nesta explosão ascendente da Altri foi decorrente da minha estratégia pessoal denominada de chave-fechadura, que derivou do triple screen do Alexander Elder, e cujos princípios da mesma já tive oportunidade de aqui divulgar algumas vezes.

Para quem teve oportunidade de activar a estratégia no ponto de compra (activação do gráfico horário), comprou o título nos 3,73€  e tem já garantido o stop-loss (para já) nos 4,96€. São mais de 30% assegurados em menos de duas semanas, com o benefício acrescido de o stop inicial ter sido baseado no gráfico horário (e permitindo, por isso, alguma alavancagem sem risco acrescido), e com a possibilidade de o movimento ainda se prol0ngar para além do stop que já está definido.

 

Ora, importa então compreender onde se poderá deter este movimento. Como referi, quem está com a posição aberta tendo por base o timeframe horário, tem neste momento um stop claro. Se os 4,96€ quebrarem, será prudente fazer pelo menos scaling out à posição pois espera-se que dessa quebra possa advir uma correcção. Para quem está a negociar tendo por base o gráfico diário, o exercício torna-se um pouco mais complexo pois não existe qualquer zona de stop nas proximidades. Na minha opinião pessoal, é preferível fazer também scaling out tendo por base o gráfico horário, e recomprar depois ao primeiro sinal de consolidação. Apesar de a amplitude do movimento quase obrigar a que se dê em breve uma pausa para consolidação ou mesmo uma ligeira correcção, o volume diz-nos que ainda poderá haver muita força compradora por detrás da Altri. É, por isso, impossível estar negativista num título que faz máximos de médio prazo com mais força a cada dia que passa.

Quer saber mais sobre os princípios básicos da análise técnica? Inscreva-se no nosso curso de introdução aos mercados financeiros clicando na imagem abaixo

 

Deixe uma resposta