A relevância do PER para os investidores

Cristiano Santos

No mundo da bolsa, usa-se um número considerável de rácios, para determinar o valor e o potencial de uma acção. Um dos rácio mais usados, é conhecido por PER, ou PE. O PER (Price Earning Ratio) consiste numa formula matemática bastante simples e resulta na divisão da cotação de uma acção, pelo seu lucro líquido anual. O PER indica, ou tenta indicar, se uma acção está cara ou barata, em comparação com o mercado ou o sector. Valores mais baixos de PER, em teoria, indicam que uma acção está potencialmente desvalorizada. Exemplo, se uma empresa está cotada em bolsa a 10 euros por acção, e se tem um lucro líquido por acção de 1 euro, então o PER é de 10. Então, o PER traduz-se pelo número necessário de anos para que o investidor recupere o investimento, isto se os lucros se mantiverem constantes nos anos subsequentes. Tomando por referência os principais mercados, normalmente assume-se um PER de 10, como sendo baixo e um PER de 20, como sendo alto. Uma curiosidade, na época do crash de 19/10/87 o PER médio de Wall Street ultrapassava ligeiramente os 20. Por vezes, uma empresa ter o PER muito alto, significa expectativas de lucros futuros elevados e o PER baixo, pode significar precisamente o oposto. Isto quer dizer que o PER por si só, vale muito pouco, sendo necessário analisar outros indicadores. Exemplo, em 2009 o PER da Google era de 25, teoricamente alto, mas os lucros em crescendo da empresa, fez com que a acção continuasse a subir, acompanhando assim o ritmo de crescimento da empresa.  

Concluindo, o PER é um importante indicador na análise fundamental de uma acção, mas que por si só é insuficiente, devendo ser acompanhado por outros rácios de análise e outros indicadores. 

Deixe uma resposta