Acionistas da Luz Saúde votam hoje recondução da administração e distribuição de lucro a colaboradores

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Os acionistas do grupo Luz Saúde votam hoje a recondução do Conselho de Administração e restantes órgãos sociais da sociedade para o quadriénio 2018-2021 e a distribuição de 630 mil euros do lucro a colaboradores e administradores executivos.

Nos termos de uma das cinco propostas a levar pelo Conselho de Administração à assembleia-geral de acionistas, o “ambicioso projeto de expansão” em curso do Grupo Luz Saúde justifica a não distribuição de dividendos em 2018, de forma a afetar “os fundos disponíveis à concretização da estratégia projetada”.

Em contrapartida, é proposto “atribuir a título de distribuição de lucros a colaboradores e administradores executivos da sociedade, um valor máximo de 630 mil euros”, valor este que “já se encontra refletido no resultado líquido individual” do exercício de 2017, que ascendeu a 10,434 milhões de euros.

Da ordem de trabalhos da reunião magna de hoje consta ainda a eleição dos membros dos órgãos sociais e da Comissão de Remunerações para um novo mandato relativo ao quadriénio 2018-2021, prevendo a proposta apresentada pela Fidelidade, acionista maioritária da Luz Saúde, a recondução dos atuais membros do Conselho de Administração, mesa da assembleia-geral, Conselho Fiscal, revisor oficial de contas e Comissão de Remunerações.

Atualmente, o Conselho de Administração da Luz Saúde é presidido por Jorge Magalhães Correia e tem como vice-presidentes Chen Qiyu e Isabel Vaz, sendo que esta preside à Comissão Executiva.

Os acionistas do grupo dono do Hospital da Luz, entre os quais se destaca também a Fosun, serão ainda chamados a votar as contas de 2017, a “apreciação geral da administração e fiscalização da sociedade” e a deliberar “sobre a declaração da comissão de remunerações” relativa à política de pagamentos dos membros dos órgãos sociais da sociedade.

A assembleia-geral dos acionistas da Luz Saúde vai decorrer pelas 12:00 na Sala Multiusos das Casas da Cidade Lisboa, em Lisboa.

O lucro consolidado da Luz Saúde recuou 2% em 2017, para 17 milhões de euros, em comparação com o ano anterior, segundo comunicação feita ao mercado no passado dia 30 de abril.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), no período de referência, a dona do hospital da Luz registou 53,7 milhões de euros de EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações), menos 3,1% do que em igual período do ano anterior.

A receita, por sua vez, subiu 7,3%, em comparação com 2016, para 483,8 milhões de euros.

O Grupo Luz Saúde presta os seus serviços através de 29 unidades – onde se incluem 12 hospitais privados, um hospital do Serviço Nacional de Saúde (SNS) explorado pela Luz Saúde em regime de Parceira Público-Privada (PPP), 14 clínicas privadas a operar em regime de ambulatório e duas residências sénior – e está presente nas regiões Norte, Centro, Centro-Sul de Portugal Continental e na Madeira, segundo a informação disponível na sua página na internet.

PD (PE) // CSJ

Lusa/fim

Deixe uma resposta