Ainda a Soares da Costa

Tiago Esteves
Depois do último post sobre a Soares da Costa surgiram diversas dúvidas, entre as quais as referentes à influência em termos percentuais que o sector da construção continuava a ter na empresa cotada em bolsa. Depois de alguma análise, parece poder concluir-se pelo relatório publicado pela empresa no passado dia 29 de Abril que o grupo Soares da Costa ainda detém 33,3% da Soares da Costa Construção. Ainda assim, e apesar de o relatório ser recente, algumas partes da imagem já não estão actualizadas.. Antes da publicação deste relatório tinha já sido anunciada a venda da Americana Prince (aguarda luz verde da AdC), e recentemente foi também anunciada a alienação de 40% da Soares da Costa Moçambique (exagerei no tamanho da cruz vermelha, a alienação foi parcial).

Permitam-me recordar a cronologia recente da empresa, sem entrar demasiado no assunto nem procurar tirar conclusões…
-Em Janeiro os membros do board desatam a vender acções quando a cotação se aproximou dos 60 cêntimos.
– Em Fevereiro é alienada uma parte significativa da empresa, nomeadamente a parte da construção, ao Sr. Mosquito. Simultaneamente procede-se a um aumento de capital para recapitalizar a empresa e passar o seu domínio para a GAM Holdings.
– Em Abril é anunciada a venda da subsidiária Americana Prince.
– Em Maio é anunciada a venda de 40% da participação da Soares da Costa Moçambique à concorrente Mota Engil.
– Actualmente pondera-se proceder à compra de acções próprias em bolsa….

Que fique claro que não tenho nem pondero ter tão cedo em carteira acções desta empresa, mas serei o único a detectar aqui alguma incoerência gestionária? Talvez esteja a falhar-me alguma coisa, talvez o negócio das concessões é que venha em breve a transformar-se no sector do futuro, mas se eu fosse accionista ficaria um pouco preocupado com a defesa dos meus interesses!

Disclaimer
Todos
os comentários e posts publicados neste blogue são meras opiniões pessoais, não
devendo ser confundidas com recomendações de compra ou venda. As compras e
vendas são da responsabilidade do investidor, bem como os lucros ou perdas daí
resultantes. Se necessitar de aconselhamento financeiro contacte uma entidade
ou profissional certificados pela CMVM

 

Comment List

  • Paulo Cleto Silva 16 / 05 / 2014 Reply

    Parabéns pelo excelente post!
    Tornam-se claras as conclusões sobre o que fazer com este activo.

  • Unknown 17 / 05 / 2014 Reply

    Tens ai coisas erradas… o que foi alienado foi a concessão das estradas do Zambeze!! Os tais 40%, que davam 200mil euros anuais durante 30 anos o que nao me parece relevante… As quedas tem sido gerais no que tocam ao Psi geral (Inapa, Glintt, Sag…), mas claro que subir a valores de 60 centimos só com a SC construções a duplicar as obras e a haver noticias…

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 17 / 05 / 2014 Reply

    Grupo Soares da Costa, SGPS, S.A. informa que a sua participada “Soares da Costa Concessões, SGPS, S.A” estabeleceu acordo com uma sociedade do Grupo “Mota-Engil” para lhe alienar a participação de 40% detida na sociedade concessionária das Estradas do Zambeze e na respetiva operadora, em Moçambique, por um valor global de 4,8 milhões de Euros. Esta transação, que ainda está sujeita a aprovação de entidades externas às partes, não envolve qualquer alteração no agrupamento construtor das obras da concessão.

  • Anónimo 17 / 05 / 2014 Reply

    Boa tarde Tiago,

    Considero-to um dos melhores na tua área, por isso,a visita diária ao teu blogger,é religiosamente cumprida pela minha pessoa, e acredito que não serei o único.
    Gosto de seguir os teus comentários e analises,porque já ganhei muito com eles.

    Tive que apagar o resto, porque tem mais de 4000 caracteres.

    Optei por coloca-lo no caldeirão. Fica-vá muito feliz se fosses lá comentar.

    Um abraço,

    João

  • Daniel Pires 17 / 05 / 2014 Reply

    Bom post tiago

    No meu caso vou ficar por fora a ver o que acontece tanto no BES como no BCP.

    Enquanto a poeira nao esteja no chão e os aumentos de capitais estarem resolvidos terei que olhar para outros activos.

    Tenho uma opinião pessoal que quando ha aumentos de capitais toda a minha analise tecnica que vem de traz fica sem efeito e enquanto nao saber quais são os novos suportes/resistencia e linhas de tendencia nao poderei ponderar estrategias que me permitam ter um risco/ganho razoavel e ter uma "opiniao" estatistica positiva

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 17 / 05 / 2014 Reply

    João,
    Obrigado pelo comentário. Entretanto já respondi.

    Daniel,
    Realmente o tópico está trocado 🙂 Também tenho dificuldades em analisar tecnicamente empresas sujeitas a estes fenómenos, o gráfico fica enviesado. Ainda assim, a psicologia está lá!

  • Buysantander 18 / 05 / 2014 Reply

    Buysantander pensa que o facto de a Soares da Costa construções não consolidar nas contas da SGPS é positivo pois diminui o risco.

    Dado o elevado volume de negócios e custos um novo prejuizo da Soares da Costa construções de montante superior a 50 milhões de euros, poderia por em causa os capitais proprios da SGPS.

    Parece-me bem por isso que a unidade de construção não consolide nas contas do grupo até se verificarem lucros.

    Adquirindo acções próprias a SGPS esta a fazer uma estrategia inteligente.

Deixe uma resposta