Análise de Resultados – BPI é provavelmente a ação mais barata do PSI

Guilherme Neves

Na sequência da recente apresentação de resultados do BPI, deixa-se hoje um comentário aos mesmos.

Principais pontos de destaque

  • Fruto da redução de custos recorrentes e da queda das imparidades, o BPI obteve lucros de 312 M€ nos primeiros 9 meses do ano, dos quais 152 M€ em Portugal. Anualizado, corresponde a mais de 200 M€
  • Mesmo tendo em conta que o custo do risco não cairá mais, os resultados têm tendência para subir devido ao plano de corte de custos com a saída de pessoal a ocorrer durante 2017 e 2018 e ao aumento dos volumes. É expectável um lucro de 250 M € na atividade doméstica em 2019
  • No que concerne às subsidiárias africanas, deve-se considerar o cambio real e um lucro anualizado atribuível entre os 75 e os 100 M€

  

Qualidade de Ativos

  • O BPI é, dos grandes bancos a operar em Portugal, aquele que tem a carteira de crédito mais conservadora e melhor provisionada. Tem 84% do crédito em risco coberto segundo critérios do banco de Portugal, e 48% segundo o critério Caixabank (mais exigente que o do BDP)
  • Tendo em conta o ponto anterior, o BPI encontra-se atualmente a libertar provisões em termos líquidos. Comparativamente, o BCP continua com níveis do custo do risco muito elevados
  • O valor total de exposições non performing do BPI é de 1500 M€, nos quais se incluem 98 M€ de imobiliário e 58.5 M€ de exposição liquida a fundos de reestruturação. Esta marca compara com os quase 8000 M€ do BCP em Portugal, somados aos 1000M€ em operações internacionais

Negócio & Rentabilidade dos Capitais Próprios Tangíveis

  • Uma das criticas apontadas ao BPI passava pelo facto de não conceder crédito à economia. No entanto, essa politica prudente (conjuntamente com os resultados do BFA) permitiu ao banco passar a crise levantando muito menos capital junto dos acionistas que os pares nacionais
  • Nos últimos 3 anos, o BPI subiu o seu market share de empresas de 6,3% para 8,2% e atualmente cresce em todos os segmentos mais rentáveis do mercado, tendo 11.1% de market share em crédito hipotecário
  • Trata-se no entanto de um banco com um retorno claramente acima do custo do capital, na operação doméstica. O nível de capital tangível Fully Loaded  global do BPI  situa-se em 11.5% (40 bps acima do BBVA e 70 bps acima do Santander).

Em resumo

  • Com um forward PER ajustado de 4.5-5 x para 2018, já descontando os resultados das subsidiárias africanas a câmbio real, o BPI é provavelmente a ação mais barata do PSI. Isto descontando à cotação, possivelmente de modo exagerado, o baixo free float de 7,5% e a posição de controlo do CABK


 


Deixe uma resposta