Análise Semanal – BPI

Tiago Esteves
A análise semanal tem desta vez como protagonista o BPI.
O BPI tem-me surpreendido bastante nos últimos meses. A sua vertente técnica era escassa, raramente acontecia algo de novo. Excepção feita a uma linha de tendência descendente que foi uma referência durante todo o bear market, pouco mais havia a dizer a seu respeito. Nos últimos meses as coisas alteraram-se substancialmente, já que os sinais técnicos se têm sucedido após a quebra dessa mesma LTd. Senão vejamos…

Após a quebra em alta da LTd, acabou por existir um novo ataque aos mínimos. Esse ataque fracassou, precisamente, devido ao forte suporte proporcionado pelos mínimos históricos. Depois desse segundo toque nos mínimos, os primeiros sinais de inversão começaram a aparecer. O primeiro foi um reversal Head & Shoulders (a azul claro), que foi activado e sofreu um pullback perfeito no início de Abril. O sinal de compra dado por esse H&S seria mais tarde reforçado na activação do duplo fundo. É certo que a activação do duplo fundo não chegou a ser consensual, já que existiram duas violações àquele que passou a ser o suporte de referência. De qualquer forma, quebras de suportes e resistências não têm faltado neste título. Enquanto tive o BPI em carteira, não olhei para os suportes e resistências como guias (algo que geralmente faço). Neste caso específico, eles têm sido pouco respeitados, com violações e recuperações sucessivas, de forma quase errática.

O padrão de máximos e mínimos relativos tem sido muito mais fiável e foi por aí que me regulei na negociação. Este padrão acabou por ser responsável pelo nascimento de uma LTa de médio prazo, que acompanhou grande parte da subida. Mas, dada a sua inclinação, a quebra era inevitável. Como tenho defendido em outros casos, não é a quebra desta linha que decreta o fim do período de subidas. A linha era tão inclinada que isto teria de acontecer, mais cedo ou mais tarde.

Neste momento não existem dados suficientes para apoiar uma entrada relativamente segura. Mantenho-me neutro desde a quebra do higher-low, mas mais inclinado para as subidas. Se traçarmos um fibonacci retracement, facilmente percebemos que esta correcção está em linha com o esperado. E se realmente já começamos um novo ciclo de mercado, uma correcção deste género é do mais positivo que poderia acontecer. Será de vigiar a formação de uma LTa com menor amplitude, linha que iria permitir uma subida mais consistente e duradoura. Pessoalmente, manterei a atitude das últimas semanas, vou ficar nas sidelines a aguardar por sinais mais claros e definidos. Nada do que vejo agora me permite entrar (curto ou longo) no mercado com a necessária convicção…

Deixe uma resposta