Análise semanal – Portucel

Tiago Esteves

A vencedora da semana foi a Portucel. As novidades desde a última análise são poucas, pois encontra-se a lateralizar desde então.
A grande novidade é mesmo a consolidação do suporte que se tem vindo a desenhar, muitas vezes violado no intraday mas nunca em fecho. As 10 velas com sombra abaixo do suporte são prova da forte pressão compradora que se faz sentir abaixo desse nível.

Há uns dias atrás cheguei a duvidar que o suporte se aguentasse muito mais, pois foram demasiados dias com as cotações coladas a ele. E se não descolasse, ia acabar por quebrar, já que a pressão compradora iria esgotar-se. Finalmente, a 23/Jan acabou por descolar e conseguiu sacudir a pressão. De qualquer forma, a subida é de apenas 3%, o que é muito pouco significativo.
Seria bastante importante para a Portucel acontecer nesta zona um ressalto mais forte, que a levasse até à próxima resistência. A resistência está a 14% do suporte, já seria suficiente para lhe oferecer mais alguma consistência (ao suporte).
Por falar em resistências, vamos-nos debruçar um pouco sobre a próxima. Como eu disse na última análise, entre Outubro e Novembro a PTI desenhou um triângulo simétrico bastante consistente. Segundo a “bíblia” Technical Analysis of Stock Trends, sempre que é desenhado um triângulo simétrico e este é depois quebrado, o seu vértice vai servir como referência para o traçar de uma resistência (o mérito da descoberta vai para o rsacramento). Tive a oportunidade de testar esta teoria em triângulos simétricos de outros títulos e fiquei surpreendido com a exactidão com que é respeitada a linha traçada.

Para o longo prazo, mantenho a opinião deixada na análise anterior. Entrar antes de quebrar a LTd, só por adivinhação. São mais de 30%, tudo bem. Mas consideremos essa margem como o preço a pagar por uma entrada mais segura.
Para os amantes do risco, pode ser feita uma tentativa de entrada junto do suporte. As probabilidades apontam para uma quebra desta marca, mais cedo ou mais tarde. Mas com um stop apertado, podem ser feitas tentativas proveitosas de busca de mais-valias nos ressaltos.
Pessoalmente, prefiro entrar curto nas resistências. Não há descanso maior do que andar a favor da tendência.

Deixe uma resposta