Análise Semanal – Sonae SGPS

Tiago Esteves

Tiago Esteves

, Sem categoria

A vencedora da habitual sondagem foi a Sonae. Confesso que tive alguma dificuldade em realizar esta análise, já que o facto de termos um título em carteira retira fluidez ao nosso pensamento e sentido crítico ao julgamento que é sempre necessário fazer.

Comecemos por analisar o período entre Março e o actual momento. Após o segundo toque numa linha com pouca consistência iniciou-se um movimento ascendente que terminou num período de consolidação. Este período de consolidação, em forma de pennant, marca a grande viragem no estado da Sonae. Coincidente com este padrão, existe um outro que se viria a activar em simultâneo – um triângulo horizontal ascendente. O dia 1 de Abril viria a revelar-se o dia em que ocorreram essas duas activações, embora com volumes ainda muito fracos.

Poucos dias depois já se registavam mais de 20% de valorização, quando entrou num local de indecisão. Era atingida a zona de resistência e uma reacção em baixa seria expectável. A reacção acabou por revelar-se muito modesta e voltamos a assistir a um movimento de consolidação. Mais uma consolidação, mais um pennant. Tudo parecia ir no bom caminho, e assim era. Novo break, nova subida superior a 20%. Este ponto é o actual máximo relativo e, desde aí, assistimos já a um declínio de 17% (de máximos a mínimos). É neste terceiro movimento que residem as minhas dúvidas, já que os dois primeiros foram bastante claros e tecnicamente muito completos.

Há uns dias atrás considerei este terceiro movimento como mais um pennant. Agora, olhando para trás, admito que essa análise apresenta algumas falhas e acabei por reconsiderar o padrão. Repare-se nos dois primeiros pennants. Ambos perfeitos, com volumes decrescentes durante a sua formação e significativamente crescentes após o break out. As projecções foram cumpridas com rigor, tendo sido até ultrapassado em ambos os casos o target proposto. Depois deste terceiro movimento de alta, o pullback foi bastante mais rigoroso do que nas outras situações. A queda de 17%, embora esteja dentro de um retrocesso normal para “respirar”, é um sinal de alerta. Até porque a vela do dia 12/5 (que correspondeu a uma queda superior a 6%) teve um volume equivalente aos dias de subidas intensas. Estes foram os principais motivos (a somar a um traçado pouco consistente) que me levaram a abandonar a teoria do terceiro pennant.

Existe um cenário que começa a ganhar sentido, até porque para se inverter definitivamente a tendência de alta será necessário muito mais que uma simples correcção. Este cenário passa por um período de consolidação mais alongado, na forma de um triângulo simétrico. Mais um toque na base deste ainda fictício triângulo acabará por lhe dar a necessária legitimidade para o podermos considerar como um padrão. Para já, os volumes decrescentes vão ao encontro desta possibilidade. Caso o cenário se confirme, há que ter em conta que a probabilidade de um triângulo simétrico quebrar a favor da tendência vigente é de 75%.

Para quem está dentro, como é o meu caso, não existem ainda razões para preocupação. A tendência de médio e também de longo prazo é de alta e isso só se alterará se a zona de suporte for quebrada em baixa. Sair neste momento e entrar um pouco mais abaixo não seria totalmente descabido, pois duvido que a linha que serve de topo ao hipotético triângulo quebre já, antes de um retracement até, quem sabe, à sua linha de base. No entanto, a uma distância de apenas 4% desse marco, não se justifica andar a entrar e a sair, gastando em comissões o lucro que poderia advir desse movimento muito incerto. Caso não se concretize o cenário, é possível que haja uma visita à zona de suporte.

Para quem está fora, sem dúvida que o mais acertado será ficar a observar o que irá acontecer nas próximas sessões. Caso se forme o triângulo simétrico, a entrada deve ser feita apenas na quebra em alta. Se eventualmente a zona de suporte for visitada, pode proporcionar uma entrada com uma relação de risco/benefício bastante proveitosa.

Neste momento, nada do que vejo me faria movimentar. Estando dentro ou fora, talvez o mais sensato seja esperar por novos dados, informações que nos guiem num ou noutro sentido. Existem alguns pontos-chave relativamente próximos que nos trarão certamente novas informações pelo que uma entrada/saída agora se pode vir a revelar precoce.

Para terminar, um alerta a quem lê esta análise. Apesar dos esforços para me manter imparcial, o facto de ter esta posição em carteira pode estar a influenciar a forma como a encaro, mesmo que de forma completamente inconsciente. Assim, peço que leiam com o sentido crítico ainda mais apurado do que normalmente já fazem.

One Comments

  • Jorge 05 / 06 / 2009 Reply

    concordo, apesar de ter entrado a 0.71€…estou à espera que possa subir a curto prazo (1 mês ou parecido) para os 0.85, 0.90, e garantidamente vendo…a ver vamos 🙂

Deixe uma resposta