Análise Semanal – EDP Renováveis (com actualização da Galp)

Tiago Esteves

A primeira análise de 2009 vai ser focada na EDP Renováveis. Embora a Galp tenha ganho também a segunda parte desta sondagem com regras diferentes, eu tinha dito que analisaria a segunda mais votada caso isso acontecesse. De qualquer forma, como ainda houve mais oito votos depois de eu ter dito isso, vou deixar um breve comentário e uma actualização gráfica à Galp, depois da análise à EDPR.

EDP Renováveis
Foi com agrado que vi esta empresa ganhar a votação semanal, já que há alguns dados importantes a juntar ao que foi dito na última análise.
Nessa altura, há cerca de um mês, eu disse que o título passaria a estar bullish se:
– Quebrasse a MM50;
– Quebrasse a resistência dos 5€
– Quebrasse a neckline da figura
– Fizesse tudo isso com volume.

Actualmente, podemos constatar que a cotação está acima da MM50 e da resistência (agora suporte). Mas nem quebrou a Neckline nem fez nenhuma das quebras com volume significativo! O que é que isso nos leva a concluir? Basicamente, que é ainda demasiado cedo para tirar conclusões.
Perguntam vocês: Mas como é que não quebrou a neckline, se ela estava associada à resistência dos 5€? Vou-me focar mais uma vez neste ponto, já que ele é muito importante e pode mesmo ser decisivo. Esta neckline não é completamente horizontal, tem uma inclinação de 5º. Isto torna-a móvel, com o passar do tempo.
E neste caso isso é especialmente importante, já que com a cotação a lateralizar é errado ignorar o afastamento progressivo da neckline. Se prolongarmos a que eu tinha traçado no mês passado, podemos constatar que ela já serviu de resistência e que os preços continuam abaixo dela. Portanto, ainda não houve quebra!

Isto tem um lado francamente positivo: Se fosse quebrada no mês anterior (com os baixos volumes correspondentes à época) iríamos ficar na dúvida quanto à validade da quebra (tal como aconteceu com o BPI). Neste momento, caso se dê a quebra, temos esse factor fulcral livre de enviesamentos. Como já disse anteriormente, numa reversal H&S nunca se pode considerar como válida uma quebra sem um pico de volume associado
Estamos a lateralizar, entre o suporte dos 5€ e a resistência da neckline. Vamos ver para que lado ela quebra primeiro.
Segunda-feira chega a liquidez aos mercados, provavelmente acompanhada com alguma lucidez que faltou em Dezembro. Vamos ver no que isto vai dar, para já continuo nas sidelines como espectador.

Actualização à Galp
Tal como disse acima, vou fazer só uma breve actualização gráfica, já que existe uma análise da semana passada que ainda se mantém válida.
A grande novidade foi a quebra em alta da LTd que eu tinha traçado. Depois de ter publicado a análise, o título fez mais três sessões abaixo dessa linha e, na última sessão, acabou por quebrar. Foi uma quebra salutar (embora sem grandes volumes), que vem conferir mais validade ao suporte dos 7€. A próxima resistência é nos 8€, é possível que se dirija para lá em breve.
Também se encontra a lateralizar, o range é largo e pode proporcionar mais-valias a quem queira arriscar entradas juntos dos suportes/resistências.
Pessoalmente continuo céptico em relação à Galp, tem de dar muitas provas de força antes de me ver entrar longo. Ela e o seu amigo negro.

Deixe uma resposta