Análise semanal(?) – EDP Renováveis e EDP

Tiago Esteves

Cá estou eu de volta para mais algumas análises, após umas férias onde quase não ouvi falar de mercados financeiros. Muita coisa aconteceu desde o início de Outubro, mas no fundo está tudo na mesma. É interessante que o facto de estarmos durante algum tempo sem acesso às últimas notícias financeiras dá-nos outra clareza sobre os aspectos mais controversos da crise. No fundo, temos a oportunidade de pensar por nós próprios sobre o estado da economia, sem haver opiniões diversas a enviesarem-nos o raciocínio.
Durante este período, a sondagem que deixei aberta no blogue ditou que fossem analisadas a EDPr e a EDP, ambas empatadas em primeiro lugar. Comecemos então pela EDPr…

EDP Renováveis
No início de Junho foi colocada em bolsa a EDPr. Muito se falou nela no período que antecedeu a sua colocação em bolsa, nem que mais não fosse pelo seu tamanho considerável. A publicidade foi muita, a apelar à subscrição das acções. Uma estratégia agressiva por parte da casa-mãe, já que o Bear Market parecia começar a mostrar os dentes e o sucesso da operação podia ficar aquém das expectativas. Na altura alguns amigos perguntaram-me o que achava e eu tentei convencê-los que seria má ideia ir à subscrição. Haviam alguns factores que me impediam de ver ali um bom negócio.

Uma das razões era a AF. Eu nem sou muito disso, como se sabe, mas um PER acima de 60 dá muito nas vistas. E quando não temos bases de análise técnica para nos socorrermos, temos de ir por outro lado.
A EDPr tinha para mim mais um grande handicap: o seu sucesso em bolsa estar correlacionado com os preços do petróleo. Não sei se se recordam deste artigo, um dos primeiros que escrevi no blogue.
Foi escrito um mês antes de a EDPr ser colocada em bolsa. Nessa altura, eu começava a temer que o rebentar da bolha do petróleo estivesse para breve. A acontecer iria ser penalizador para esta e todas as outras empresas de renováveis, pois os custos implícitos a estas empresas fazem com que a energia que produzem só seja barata se o petróleo estiver “caro”.
O último factor, e talvez o mais importante, tinha a ver com os tempos que se avizinhavam. Como já disse, o bear market começava a mostrar os dentes e isso só podia ter um significado: Iria vir tudo cá para baixo, o bom, o mau e o assim-assim. Sendo apanhada a EDPr no meio do turbilhão, era muito provável que também caísse.

Pensam vocês: “Ora bem, depois das coisas acontecerem é muito fácil apontá-las!” Não deixa de ser verdade.
De que serve então estar a falar em algo que já aconteceu? Serve para vermos o que terá de mudar para a EDPr bater no fundo e começar novamente a subir.
Em primeiro, e começando pela primeira razão que apontei, tem de começar a construir números, mostrar lucro, valor… Só mostrando que pode ser rentável poderá convencer os investidores a olharem para ela. Isto não deve ser particularmente fácil, especialmente porque os preços do petróleo tenderão a estabilizar abaixo dos 100 dólares durante algum tempo, possivelmente durante alguns anos até (na verdade é muito dificil prever).
De qualquer forma, deveremos preparar-nos para o próximo choque petrolífero antes de ele chegar, e neste campo a EDPr terá uma palavra a dizer. Se ela mostrar que pode dar lucro, eu próprio entrarei, já que no muito longo prazo as renováveis serão o futuro.

E em relação ao actual estado dos mercados, o que terá de acontecer para ela inverter? Desde o primeiro fecho foi visível que não iria ser fácil ultrapassar em alta os 8 euros. Houve milhares de pessoas que só entraram para fazer lucro rápido, à semelhança do que haviam feito em outras colocações em bolsa. Ao verem que a coisa correu mal, não tinham qualquer plano de saída. Já só queriam não perder dinheiro. Muitos optaram por não vender na altura e agora, ao verem o seu investimento continuar a perder valor, vão vendendo aos poucos.
Também os despejos dos institucionais são um problema, já que há muita necessidade de liquidez por aí. Enquanto estes despejos não secarem definitivamente, não há lugar para a recuperação.
Tecnicamente está muito má, já perdeu mais de 50% nos últimos meses e continua em mínimos. Vai ter de fazer os seus próprios suportes, já que não tem nada que a agarre e impeça novas quedas. Gostava de ter mais e melhor para dizer, mas o seu curto historial não mo permite

EDP
Já que me alonguei um pouco na análise anterior, vou tentar ser mais sucinto nesta.
Mais uma que não está bem, tecnicamente. Estranho seria se estivesse, dado o estado da actual crise. Com uma subida de 250% desde o anterior fim de bear market, deu o primeiro sinal de alerta em Agosto de 2007 quando a LTa de longo prazo foi quebrada. Embora ainda tenha subido mais um pouco a partir desse momento, seria esse o sinal que ditaria a saída dos mais cautelosos. Desde Novembro de 2007 já caiu mais de 50% e está bearish em todos os horizontes temporais. Aparentou fazer um duplo fundo em Julho/Agosto deste ano mas rapidamente se percebeu que foi só um falso alarme
Neste momento tem um suporte nos 2,05 que embora sendo já bastante antigo a fez reagir de forma muito positiva na primeira abordagem. Rapidamente se aproxima dele novamente e será interessante observar o que acontecerá. Com a visível diminuição dos volumes, é possível que tenhamos nessa zona nova reacção em alta. De qualquer forma, volto a reforçar algo que tenho vindo a apregoar:Mesmo que ela reaja em alta, entradas longas são de evitar! Posso parecer repetitivo, mas tenho a firme convicção de que o fim da crise ainda está longe

Como não podia deixar de ser, antes de sair do país fechei todas as posições e assim espero continuar. Entrar longo está fora de questão e entrar curto neste momento também é muito perigoso. Uma tendência secundária há-de aparecer mais cedo ou mais tarde, mas será somente isso, uma tendência secundária. A tendência principal continua a ser de queda e contrariar isso pode ser muito doloroso

Comment List

  • rui g (rg7803) 29 / 10 / 2008 Reply

    olá tiago,
    queria apenas dar-te os meus parabéns agora que regressaste de férias (que espero tenham sido retemperadoras); o teu blog está fixoide e escreves bastante bem; as análises são claras; deixo-te apenas uma sugestão, que seguirás ou não consoante a tua opinião: não alongues tanto os textos, tenta fazê-los mais concisos!
    abraço,
    rg7803

  • Tiago Esteves 29 / 10 / 2008 Reply

    Olá Rui. Obrigado pelo comentário…
    Pois, acredito que se torne maçudo para quem lê, quando os tópicos ficam muito extensos.
    Prometo que vou tentar melhorar nesse aspecto, deixar análises mais do género da análise desta semana para a EDP.
    Vai passando por cá, agradeço sugestões. Abraço

Deixe uma resposta