Análise Semanal – Teixeira Duarte

Tiago Esteves

A vencedora desta semana é uma das empresas que mais tenho analisado, mesmo quando não vence a sondagem semanal recolhe sempre bastantes votos.
Então, o que há a dizer dela desde a última análise? Bom, na prática muito pouco. Continuamos a assistir ao já referido padrão de lower highs e de lower lows, sendo que os picos de cotação não têm conseguido ultrapassar os anteriores fundos. Isto é, como sabem, um sinal extremamente bearish. Notório da falta de força do título para ultrapassar as resistências.
Desde a última análise que fiz, redesenhei a segunda linha horizontal de resistência. Antes tinha-a colocado no ponto mínimo de cotação e agora fica no ponto mínimo de cotação em fecho. Já referi anteriormente que a cotação de fecho tem muito mais significado pois simboliza o preço que os investidores estão dispostos a pagar para levar o título até ao dia seguinte.
Assim sendo, fica ainda mais claro o padrão de quebra de suportes/reteste às resistências. Seguindo esse padrão, estamos neste momento a assistir a um teste à resistência, não devendo a cotação conseguir ultrapassar essa linha com sucesso.
Se fosse possível shortar a TDU, seria agora o momento mais propício. Para os investidores que ainda estão longos, será talvez este o momento de pensarem seriamente se querem continuar dentro.
Os volumes continuam anémicos, o que mostra a falta de interesse que os investidores têm nela. Isso é um mau sinal, já que em bear market as cotações tendem a cair levadas pela própria inércia. Se não há interesse no título, este tem tudo para continuar a cair. Fica o gráfico, antes de algumas considerações finais

Algumas considerações
Decidi tecer algumas considerações a seguir à análise técnica, pois estas nada têm a ver com AT. Faço-o por uma razão muito particular: se, semana após semana, a Teixeira Duarte continua a receber tantos votos na sondagem semanal é porque muitos dos leitores do blogue continuam posicionados do lado longo (já que o curto não é permitido). Isso preocupa-me, já que esta é a empresa do PSI-20 em que estou mais pessimista.
Como é sabido, a Teixeira Duarte está fortemente investida em BCP e Cimpor. Infelizmente para eles, compraram numa péssima altura, na altura de vender. Com as fortes desvalorizações destas duas empresas, a TDU tem perdido milhões. Dizem os fundamentalistas que se o investimento em Cimpor e BCP fosse perfeitamente reflectida na sua cotação, esta teria de ser inferior a 20 cêntimos (os mais optimistas, os outros dizem que já estaria falida).
Ora, a forte exposição nestes dois activos transforma-a num interessante activo especulativo: Quando BCP e CPR sobem, a TDU tem tendência a subir mais. O problema é que BCP e CPR se encontram a atravessar uma fase bastante má, sem recuperação à vista para o curto/médio prazo. A banca atravessa a crise que se sabe, estando ainda muito longe do fundo do poço. A Cimpor sofre com a crise imobiliária e económica, se há cortes na construção (não só no imobiliário, mas também nas obras públicas, etc…) ela não factura.
Isto tudo para dizer que a Teixeira Duarte pode não ser olhada como as outras empresas. Se há muitos que defendem que “isto mais tarde ou mais cedo há-de subir”, ela é um bom exemplo de que tal pode nunca vir a acontecer. Pode bem ser a nova Pararede do PSI-20, isto para nem abordar o tema falência (que embora menos provável, é possível).

Para terminar, deixem-me dizer que o que foi dito não passa de uma opinião pessoal que visa alertar e deixar atentos todos os que andam mais distraídos e não conhecem todos os factos. Não quer dizer que venha a acontecer, apenas quer dizer que se pode acontecer devemos estar alertas para isso.
Estamos em pleno bear market (actualmente no meio de um rally) e o caminho de muitas cotações vai continuar a ser para baixo.

Deixe uma resposta