As minhas expectativas para 2015

Tiago Esteves
O ano que agora deixamos para trás foi um dos mais duros de sempre para a bolsa portuguesa. A falência do grupo financeiro de maior renome no nosso país e a fusão em forma de oferta de uma das nossas pérolas empresariais acabaram por obter a responsabilidade nesse processo descendente, mas os outros constituintes do nosso PSI-cadavezmenos também não ajudaram. Em ano de eleições, não se espera que a recuperação surja para já – pelo menos não no primeiro semestre do ano. É bastante provável que a instabilidade política na Grécia se contagie à Europa durante o início do ano, e que o nosso processo legislativo seja também marcado pela desconfiança dos mercados. Com a aproximação à esquerda do principal candidato político a primeiro-ministro, eu diria que, a surgir, essa desconfiança não será totalmente infundada. 
Em termos internacionais, continuamos a aguardar pela correcção nos principais mercados. Felizmente ela vem sido adiada, veremos até quando. Nos US, o fim dos QE vai continuar a colocar à prova a legítima força do corrente bull market. Existe neste momento um reconhecido movimento de cavalganço nas nuvens, e a qualquer momento o mercado poderá colocar o pé em falso e desfalecer. Nem que não seja uma total inversão, espero para 2015 uma correcção um pouco mais prolongada. A recessão que será provocada pela queda do preço do petróleo e consequente diminuição de força compradora nos países produtores poderá deixar marcas nas exportações, não só dos US mas também das Europeias. Também o dólar mais forte terá um forte pesar nesta matéria, prejudicando ainda mais o país quando os mercados se aperceberem que a dívida de muitos biliões feita pela administração Obama nos últimos anos terá de ser paga um dia. E a força das rotativas poderá não ser suficiente para os continuar a tranquilizar.
Na Europa continuo dividido… estaremos em grande parte dependentes da força de crescimento da economia Alemã, que beneficiará com um Euro mais fraco e com a queda do petróleo, mas estaremos cada vez mais sujeitos à entrada num cenário deflacionista que seria altamente prejudicial para o velho continente. É por isso provável que o BCE tenha de ser mais interventivo neste novo ano, tomando medidas que beneficiariam directa e indirectamente os mercados. A grande sombra para este plano está na coesão que será necessária para tomar tais medidas estruturantes. Se a extrema esquerda, como se espera, triunfar nas eleições de final de janeiro na Grécia, a coesão da moeda única será abalada. O impacto desse abalo é incalculável, mas provavelmente falar-se-á novamente num afastamento dos PIGS no que à moeda mais forte diz respeito. Estas sombras de incerteza poderão manchar a coesão europeia, projectando-nos para um cenário ainda mais pantanoso do que o actual. Nós, em Portugal, não teremos provavelmente capacidade para rumar contra um ciclo de maior pessimismo e veremos também os restantes títulos que ainda não estão em mínimos a aproximar-se desse cenário. Apesar de este cenário se aproximar de um extremo muito negativista, ainda assim é o que me parece mais realista. Verdade seja dita, se a Europa conseguir afastar rapidamente a Grécia das contas do Euro, sem provocar grande ruído, a nossa moeda sairá reforçada numa óptica de longo prazo. Eles sofrerão as terríveis consequências dessa decisão, mas isso deixa de ser problema nosso. 
Pessoalmente terei em 2015 um ano de fortes desafios pessoais e profissionais, e isso levará a algumas mudanças. Por ser o ano em que espero terminar o doutoramento, terei obrigatoriamente de dedicar menos tempo ao blogue. Apesar de ter vindo a adiar em 2014 uma pausa definitiva na escrita dos mercados, terei de o fazer parcialmente neste novo ano. Pelo menos nos primeiros meses do ano não conseguirei continuar a escrever diariamente neste espaço, por todo o tempo e foco que essa escrita me retira. Manterei, como antigamente, a análise semanal e acrescentar-lhe-ei a análise aos índices Europeus e Americanos. Foi com surpresa que tenho constatado que essas análises geram interesse em muitos de vocês, e por isso manter-me-ei fiel às suas actualizações. Espero, assim, publicar um mínimo de três posts por semana, e fazer algumas intervenções extra sempre que existam temas com interesse digno de registo.
Deixo, para memória futura neste novo ano, alguns tópicos que me parecem importantes:
– O mercado tem dois lados! Consegue-se ganhar quando ele está a subir, mas também se pode beneficiar muito com as quedas.
– Todos os que conseguirem superar com sucesso o desafio de um bear market ficarão mais fortes no processo, e colherão os frutos dessa resiliência no longo prazo se souberem aproveitar os ensinamentos que esse ciclo de mercado traz consigo.
– Por muito bom que pareça o negócio, usem stops… caso contrário, 2015 será mais um mau ano.
– O dinheiro, por si, não traz felicidade. Se abdicarem das coisas importantes da vida para ganharem dinheiro, estão a fazer o percurso errado.
Um grande abraço para todos, e votos sinceros de um feliz ano novo!
Tiago
https://i0.wp.com/edmontonrealestateblog.com/images/2010/12/BullAndBear.jpg

Lista de Comentários

  • Anónimo 02 / 01 / 2015 Reply

    Olá Tiago, um excelente post. Aproveito para desejar-te um excelente Ano de 2015, com muita saúde, muitos projetos pessoais e muito sucesso nos estudos.
    Um abraço,
    Abel Silva

  • Anónimo 02 / 01 / 2015 Reply

    Segundo dizem, a Divida publica americana é a mãe de todas as bolhas, que a qualquer momento pode arrebentar. Só não se sabe quando!

    Obrigado pelo post.

  • NCamilo 02 / 01 / 2015 Reply

    Olá Tiago, fica aqui o desejo de um excelente 2015 cheio de saúde acima de tudo e que consiga terminar o doutoramento.
    Um abraço
    Nuno Camilo

  • otnas ed arim 03 / 01 / 2015 Reply

    Desejo um crescente 2015 a todos os seguidores do Blog Surfar a Tendência e em especial para o Tiago.
    Esperamos que continue a deixar aqui os seus testemunhos, pois são importantes para os pequenos "acompanhantes" dos mercados.
    As análises são bastante esclarecedoras sobre o que poderá acontecer, salientando o rumo que poderão ter a curto e longo prazo.
    Bem haja pela informação que vai divulgando no seu blog.

Deixe uma resposta