As vicissitudes da negociação tendencial – Sonae e BCP

Tiago Esteves
São muitos os chavões de bolsa a defender que a negociação tem de ser feita a favor da tendência. Follow the trend: The trend is your friend; …entre tantos outros… Se os preços estão a subir, compra-se. Se estão a descer, vende-se! A verdade é que esse movimento tem algo de contra-natura – talvez por estarmos a comprar algo que ficou mais caro, ou a vender algo que parece ter acabado de ficar mais barato – e por vezes ignoramos essa regra fundamental. O mercado rapidamente trata de nos recordar da sua soberania, e coloca em cima da mesa evidências da importância dessa prática. 
Recentemente, como tive oportunidade de partilhar, abri uma posição short na Sonae e uma longa no BCP (nos gráficos horários). A abertura foi motivada por argumentos técnicos contrários, um duplo topo e um duplo fundo. Os cenários macro eram semelhantes (do ponto de vista técnico) em ambos os casos, com os dois títulos em bear mode e com o índice também em claro bear market. No caso do BCP estava a arriscar uma entrada contra a tendência, enquanto na Sonae a entrada era a favor da tendência. Antes de entrar, era já conhecedor da estatística global para ambos os cenários, estando consciente de que a probabilidade de falso break no duplo fundo era duplamente superior à de falso break no duplo topo, quando considerado o contexto. Sabia também que a probabilidade de o duplo topo atingir o ponto de projecção era 40% superior à probabilidade de tal cenário ser concretizado no duplo fundo (uma vez mais, considerando o contexto). Ainda assim decidi arriscar, e abri ambas as posições.
Conclusão: Uma vez mais, confirmou-se a força da tendência dominante no índice e o poder da análise probabilística, tendo o duplo fundo sido stopado num higher-low muito antes do target estimado (felizmente próximo do break-even, mas ainda assim abaixo deste), e o duplo topo atingido a sua projecção (e ainda criando uma referencia para stop da percentagem da posição para trend-following que já é positiva face ao break-even). 
Será, assim, errado abrir uma posição contra a tendência dominante dos títulos e dos índices em que estes se inserem? Não, não me parece, sobretudo quando negociamos padrões de inversão. Até porque, apesar de teoricamente serem mais falíveis, têm ainda assim validade estatística suficiente para se justificar a sua negociação. Mas, sabendo nós de antemão que a probabilidade de sucesso é superior quando a negociação segue a tendência, torna-se absolutamente fundamental que saibamos reflectir essa maior probabilidade de êxito na implementação da estratégia de money management associada à negociação!

Duplo Fundo – BCP
Duplo Topo – Sonae
Dados estatísticos – Duplo fundo

Comment List

  • Daniel Pires 18 / 12 / 2014 Reply

    ola Tiago

    Relativamente aos resultados estatisticos qual é o autor do livro onde foste buscar a estatiscaca do duplo solo?

    JA agora sabes qual a data concreta em que o tribunal Europeu vai indicar se a compra de divida em 2012 foi do ambito do BCE? è em 14 de janeiro de 2015 certo?

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 18 / 12 / 2014 Reply

    Olá Daniel. É do livro do Bulkowski, Encyclopedia of chart patterns.
    Em relação à outra questão, não faço ideia…
    Abraço

  • Daniel Pires 18 / 12 / 2014 Reply

    Obrigado Tiago
    Estive a pesquisar e parece que o primeiro depoimento será em meados de janeiro sendo a decisão final na primavera….será por isso que DRAGHI está a atrasar os QE a espera danautorizacaondontribunal europeu?

Deixe uma resposta