Bolsa de Valores angolana movimentou 196 ME em julho, menos 28,3% que em junho

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA) encerrou julho com um montante avaliado em cerca de 58,9 mil milhões de Kwanzas (196 milhões de euros), segundo o relatório mensal do Mercado Secundário de Dívida Pública.

Desse total, indica-se no documento, divulgado pelo Ministério das Finanças, 42,8 mil milhões de kwanzas (143,3 milhões de euros) foram negociados no Mercado Multilateral e 16,1 mil milhões de kwanzas (53,6 milhões de euros) no Bilateral.

Durante o passado mês de junho a BODIVA encerrou as transações com 82 mil milhões de Kwanzas (273,3 milhões de euros), sendo 20,2 mil milhões (67,3 milhões de euros) no Ambiente Bilateral e 62 mil milhões 206,6 milhões de euros) no Ambiente Multilateral.

Entre junho e julho, refere-se no documento, as negociações na bolsa recuaram 28,3%, em mais de 24 mil milhões de Kwanzas (80 milhões de euros).

O Banco de Fomento Angola (BFA) mantém a liderança que vem tendo desde o início do ano, com mais de 481 negócios realizados, seguido pelo Banco Angolano de Investimento (BAI), com 57, e pelo Standard Bank Angola (SBA), com nove.

No total foram realizados 550 negócios em julho, contra os 737 de junho, tendo sido observado uma queda de 187 negócios.

Entre janeiro e julho, a BODIVA já movimentou mais de 1.500 negócios avaliados em 417,4 mil milhões (cerca de 1.400 milhões de euros).

Segundo o documento, a BODIVA acredita que o registo das transações no Mercado Regulamentado, ao dar a conhecer a todo o mercado os termos dos negócios (preço e quantidade) efetuados, irá concorrer para o aumento da transparência e da confiança dos investidores.

Por outro lado, espera-se que o mesmo exercício concorra para a formação de uma curva de preços para os ativos nele registados, que deverão servir de referência para futuras transações.

A Bolsa de Dívida e Valores de Angola, enquanto Sociedade Gestora de Mercados Regulamentados, tem como missão promover o desenvolvimento do Mercado Regulamentado de Valores Mobiliários e Derivados e, desse modo, contribuir decisivamente para o financiamento sustentado da economia de Angola.

JSD // SB

Lusa/Fim

Deixe uma resposta