Brexit: Falta de acordos bilaterais antes da saída pode custar 1,8 mil ME aos exportadores britânicos – UNCTAD

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O Reino Unido pode perder perto de 1,8 mil milhões de euros em exportações caso não feche antes do ‘Brexit’ acordos bilaterais com países que têm condições preferenciais no comércio com a União Europeia (UE), alertou hoje a UNCTAD.

A Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) alertou, em comunicado, que “tendo em conta a sua saída iminente da UE, o Reino Unido precisa de fechar acordos bilaterais com países que dão condições preferenciais aos estados da UE, para manter o acesso preferencial ao mercado”.

Ainda que já haja acordos com vários países, “cerca de 20% das exportações do Reino Unido para fora da UE estão em risco de enfrentar tarifas mais elevadas de nações como a Turquia, África do Sul, Canadá e México”, recordou a organização.

Segundo as contas da UNCTAD, se estes acordos não estiverem firmados no dia da saída do Reino Unido “isso irá custar à economia britânica quase dois mil milhões de dólares [1,8 mil milhões de euros à cotação atual] em exportações”.

“Setores como o vestuário, têxteis, automóveis e produtos alimentares processados deverão enfrentar tarifas mais elevadas, com as perdas no segmento dos veículos a atingir aos 750 milhões de dólares (683,2 milhões de euros)”, lê-se na mesma nota.

A UNCTAD recorda ainda que a UE está neste momento a concluir vários acordos com parceiros importantes como o Vietname e países do Mercosul e que, se o Reino Unido não conseguir acordos semelhantes, isso irá resultar em mais perdas para as exportações britânicas.

O cenário é ainda pior se houver uma saída sem acordo da UE por parte do Reino Unido, com a UNCTAD a colocar as perdas em, pelo menos, 16 mil milhões de dólares (14,5 mil milhões de euros), ou aproximadamente 7% das vendas das ilhas britânicas ao bloco europeu.

O setor automóvel (4,5 mil milhões de euros) seria o mais afetado, seguido dos produtos para animais (1,8 mil milhões de euros) e dos têxteis e vestuário, com um valor semelhante.

A UNCTAD alerta ainda para as consequências dos controlos fronteiriços e de outras questões não relacionadas com tarifas para os exportadores.

“A aproximação do prazo para o ‘brexit’, em conjunto com uma maior incerteza no resultado, é problemática para os exportadores britânicos e são necessárias soluções para um alívio a curto prazo”, diz a organização.

ALYN // ANP

Lusa/Fim

Deixe uma resposta