Caixabank impõe ao BPI melhorar rentabilidade e eficiência até 2020

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O presidente executivo do grupo bancário espanhol Caixabank, dono do BPI, disse hoje que o banco português deverá apresentar uma rentabilidade superior a 10% e uma eficiência de cerca de 50% em 2020.

O Caixabank realizou hoje a sua assembleia-geral de acionistas em Valência (Espanha) para aprovação de contas e os responsáveis do grupo definiram as prioridades para este ano, como melhoria da rentabilidade, aprofundamento da digitalização, aumento do número de clientes e reforço do posicionamento do BPI em Portugal.

Em comunicado, o Caixabank indicou que, na sua intervenção, o administrador-delegado, Gonzalo Górtazar, “avaliou muito positivamente a evolução” do BPI, cerca de um ano depois da tomada de controlo, e indicou que o grupo quer reforçar o crescimento do negócio em Portugal.

Nomeadamente, disse, o BPI tem como objetivo chegar a 2020 com uma “rentabilidade superior a 10% e uma eficiência de cerca de 50%”.

Em 2017, na atividade em Portugal, o BPI teve uma rentabilidade (ROTE – ‘return on tangible equity’) de 9,6% em termos recorrentes e de 6,2% como reportado (incluindo custos com reformas antecipadas e rescisões, a mais-valia da venda da BPI Vida, e impactos extraordinários do Banco de Fomento de Angola).

Já a eficiência (rácio ‘cost-to-income’) ficou em 63% em 2017.

Segundo a agência de notícias Efe, Gortázar considerou que o BPI vai beneficiar da “melhoria” da economia portuguesa e redução do desemprego.

Esta assembleia-geral foi a primeira realizada em Valência após a mudança da sede social do Caixabank.

Em outubro, o Caixabank anunciou a mudança da sua sede para Valência, desde Barcelona, na sequência da crise independentista na Catalunha.

O grupo bancário espanhol Caixabank teve lucros recorde de 1.684 milhões de euros em 2017, mais 60% do que em 2016.

Na operação em Espanha, o Caixabank teve lucros de 1.508 milhões de euros, mais 44,1% do que no ano anterior.

Já o BPI contribuiu para os resultados com 176 milhões de euros.

O BPI passou a ser controlado pelo grupo espanhol Caixabank no início de 2017, após uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) em que ficou com uma participação de cerca de 85%.

Na sequência dessa mudança, o espanhol Pablo Forero substituiu Fernando Ulrich como presidente do banco.

IM // CSJ

Lusa/Fim

Deixe uma resposta