Câmara de Lisboa quer substituir lâmpadas da cidade e poupar na fatura energética

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A Câmara Municipal de Lisboa vai apreciar na segunda-feira uma proposta com vista a substituir as lâmpadas da iluminação pública da cidade por lâmpadas LED, por forma a “obter uma considerável redução” da fatura energética.

De acordo com a proposta a que agência Lusa teve acesso, e que é assinada pelo vereador das Obras Municipais, Manuel Salgado, com esta empreitada “pretende-se executar a substituição de luminárias com lâmpadas de descarga por luminárias com tecnologia LED, com o objetivo de obter uma considerável redução da potência instalada, como medida de eficiência energética”.

A proposta, que será apreciada em reunião privada do executivo, aponta que a medida vai incidir sobre zonas da cidade onde existem “luminárias com lâmpadas de descarga em fim de vida útil, permitindo a sua substituição imediata por luminárias com tecnologia LED, sendo, também, objetivo da intervenção a substituição de todos os apoios em mau estado de conservação”.

Está prevista a intervenção em “4.976 luminárias existentes”, cujas lâmpadas serão substituídas por “4.648 luminárias dotadas de tecnologia LED”.

A proposta explica que, desta forma, assistir-se-á a uma “redução de 328 luminárias, face às características da tecnologia implementada e uma redução de 1.074 quilowatts, o que se traduz numa poupança de 67% na potência instalada e consequentemente na energia consumida”.

Com esta medida, a Câmara de Lisboa estima uma “poupança de energia anual de 4.470.916 quilowatts, implicando uma redução da fatura energética anual de cerca de 536.510 euros”.

O concurso público que o município pretende lançar tem o preço base de 3,2 milhões de euros e estima um prazo para a execução da obra de 270 dias.

De acordo com a proposta, este é um investimento sobre o qual a autarquia espera ter retorno em seis anos.

Para tal, a Câmara vai recorrer a uma “repartição de encargos para os anos financeiros de 2017, 2018 e 2019”, sendo que a maior fatia (3,11 milhões) é atribuída em 2019.

A repartição de encargos necessita ainda do aval da Assembleia Municipal de Lisboa.

Na mesma reunião, os vereadores vão apreciar também a adjudicação do “fornecimento de energia elétrica em baixa tensão para dispositivos de iluminação pública, tráfego e publicidade do município de Lisboa” à empresa de energia “Endesa Energia, S.A.” – Sucursal em Portugal, no valor de 9,49 milhões de euros.

FYM // MLS

Lusa/Fim

Deixe uma resposta