Como escolher “boas acções”?

Cristiano Santos

Como escolher “boas acções”?

Ao longo dos anos, diversos investidores reconhecidos internacionalmente foram deixando dicas ou recomendações, sobre como escolher as acções a ter em carteira a longo prazo.

Vamos rever esses conselhos de alguns dos mais famosos analistas, relembrado que boa parte destes indicadores, já eu escrevi sobre eles anteriormente, explicando em que consistem.

Conselhos de Warren Buffet:
– Baixo PER;- Alto DY;- Preço a desconto, relativamente aos activos líquidos correntes;- Baixo PCF (Price to Cash-flow);
– Alto ROE (Return on equity).

Jim Slatter:- Crescimento de EPS nos últimos 5 anos;
– Baixo PER;- Administração optimista;- Bons ROE e ROC (Rate of Change);- Baixa capitalização bolsista;
– Distribuição consistente de dividendos;
– Bom PBV.

Melvin Tukman:
– Alto ROE (mínimo 15%);
– Excelente PCF;- Baixa volatilidade;- Boa autonomia financeira e excelente rating de crédito.

Peter Lynch:- A empresa deve fabricar um produto banal, de procura constante;- Não deve ser uma growth stock;- Ter um bom negócio franchisável;- As acções serem compradas pelos executivos superiores;- Investir tanto tempo na compra de uma acção como na compra de um frigorífico;- Evitar acções da moda;- Ser utente de tecnologia (não fabricante);- Evitar companhias grandes e até buscar, pelo contrário, empresas pequenas e prósperas, com um bom conceito de negócio;- Empresas que estejam a fazer um upturn, mas pouco endividadas. 

Aqui fica um bom resumo dos conselhos de alguns que estudam este assunto há anos, sobre as características que devem procurar nas acções, na hora de as comprar. 

Deixe uma resposta