Conclusão da compra da 321 Crédito pelo Banco CTT prevista para início de maio

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Os CTT informaram hoje que a conclusão da compra da 321 Crédito, empresa de crédito automóvel e de mediação de seguros, pelo Banco CTT “está prevista para o início do mês de maio” e será “oportunamente” comunicada.

Em comunicado, os CTT adiantam que “se encontram verificadas as condições suspensivas previstas no contrato de compra e venda da 321 Crédito pelo Banco CTT, incluindo a não oposição à transação por parte das entidades competentes de supervisão bancária e da Autoridade da Concorrência”.

A compra desta empresa que opera no financiamento de automóveis usados em Portugal “visa reforçar a diversificação de portefólio de produtos e otimizar o balanço do Banco CTT, melhorando o seu rácio de transformação”.

“A conclusão da aquisição permitirá reforçar a estratégia de diversificação dos CTT através do robustecimento do Banco CTT, uma das alavancas de crescimento a par do ‘Expresso & Encomendas'”, refere o presidente executivo dos CTT, citado no comunicado.

Por sua vez, o presidente executivo do Banco CTT, Luís Pereira Coutinho, também citado no comunicado, afirma que a compra da 321 Crédito “representa mais um passo na afirmação” da instituição financeira, “que conta com quase meio milhão de clientes”.

Assim, “uma vez concretizada, esta aquisição reforçará a oferta de produtos e os rácios do Banco CTT e é um passo lógico e importante na nossa estratégia”, acrescenta Luís Pereira Coutinho.

No final do ano passado, o Banco CTT tinha mais de 400 mil clientes, “em particular no segmento populacional dos ‘millenials’, depósitos no valor de 884 milhões de euros, rendimentos operacionais de 23,6 milhões de euros e uma quota de mercado de 2,2% em produção de crédito à habitação”.

A StormHarbour Securities LLP atuou como assessor financeiro e a Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, SP, RL atuou como assessor jurídico dos CTT e do Banco CTT no âmbito desta transação.

ALU // CSJ

Lusa/Fim

Deixe uma resposta