CTT – O momento descendente está de volta

Tiago Esteves

Depois de ter sido atingido e ultrapassado o target do padrão de inversão, eis que o mau momento dos CTT está de volta. Suporto esta opinião menos optimista em três sinais de fraqueza que surgiram recentemente: O primeiro foi a quebra em baixa da linha de tendência ascendente que começava a formar-se e a dar esperança para a continuação da reacção em alta. O segundo foi a quebra em baixa do suporte dos 3,48€. Este ponto representava não só o mínimo relativo mais relevante para a linha de tendência, mas também o ponto de referência para a vela negra que se formou a 12 de Janeiro (aguentando ainda, temporariamente, um recuo mais forte da cotação). O terceiro, talvez mais preocupante numa óptica de médio prazo, foi o recomeço do padrão de lower-highs (máximos relativos sucessivamente inferiores ao anterior). Este é um padrão característico de um momento descendente, e até que o mesmo seja interrompido tudo aponta para que de facto os CTT tenham voltado a mergulhar no seu bear mode.

CTT

Ora, e o que seria necessário acontecer para reverter os sinais de negativismo que assombram o título? Teoricamente, pouco.  Numa primeira fase “apenas” se pede que a zona de resistência que começa uns meros 4% acima da actual zona de preço seja quebrada em alta. Percentualmente não é muito, mas receio que o título possa não vir a mostrar capacidade para o conseguir alcançar. O segundo ponto, indissociável do primeiro, passaria pela não quebra em baixa dos 3,258€. Caso os CTT venham a ter sucesso na ultrapassagem deste momento mais delicado, poderemos reabrir a discussão relativamente a uma potencial recuperação ascendente. Para já, nada do que se vê parece apontar nesse sentido.

 

_____________________________________________________________________

 

 

Um comentário

  • Guilherme Neves 04 / 03 / 2018 Reply

    Ainda não houve nada que me fizesse mudar a opinião sobre este titulo, a ver vamos os resultados

Deixe uma resposta