É tempo de tirar esqueletos do armário!

Tiago Esteves
Todos os anos por esta altura, geralmente marcada pela falta de
liquidez, costumo alertar para a importância de equilibrar posições
ganhadoras e perdedoras. O ano fiscal está prestes a terminar e, em
2014, quando estivermos a preencher o IRS, vamos agradecer este pequeno
esforço.
Não vou falar da lei que rege as mais-valias, não serei
certamente a melhor pessoa para o fazer já que eu próprio tenho de a ir
consultar todos os anos para me orientar. Mas há uma dica simples que
não poderia deixar de referir.  Considerando que só serão taxadas as
mais-valias, é importante fazer o rollover das posições. Vamos a
exemplos concretos:

Caso 1: Imagine-se o caso de um investidor que tem 5000€ de perda em posições
já fechadas mas comprou BCP há uns dias e a posição está a render-lhe 3000€. Este investidor
acredita que o BCP vai continuar a subir e não se quer desfazer da
posição. Então só tem de vender a posição e comprá-la a seguir novamente
ao mesmo preço para poder aproveitar os 5000€ de prejuízos para não pagar futuramente os 3000€ de ganhos entretanto gerados.
Neste exemplo o investidor não pagaria qualquer valor de mais-valias!
Gastava 14€ em comissões mas assegurar-se-ia que se o próximo ano fosse bom teria menos 3000€ de lucros para pagar futuramente.
      

Caso
2: Imagine-se o caso de um investidor que tem 1000€ de prejuízos em
posições realizadas até à data e que está com 1000€ de lucro numa
posição aberta na Zon e mais 500€ de lucro em CTT. Este investidor não
deverá fazer apenas o rollover da posição na Zon de forma a chegar à
linha de água! O mais eficiente neste caso seria fazer os 1500€ de lucro
para equilibrar com os 1000 de prejuízo. Como os pequenos investidores
só são taxados se tiverem lucros acima de 500€, o investidor deste
exemplo não teria de pagar qualquer imposto pela mais-valia apresentada
. (Actualização: A norma que dava direito a este beneficio foi revogada)

Caso 3:Imagine-se o caso de um investidor que tem 5000€ de lucros em posições
já fechadas mas comprou Banif durante o ano e tem nessa posição aberta
uma perda até à data de 3000€ face ao valor de compra. Este investidor
acredita mesmo que o Banif vai subir em breve e não se quer desfazer da
posição. Então só tem de vender a posição e comprá-la a seguir novamente
ao mesmo preço para poder abater aos 5000€ de lucro os 3000€ de perda.
Neste exemplo o investidor pagaria assim mais-valias sobre apenas 2000€!
Gastava 14€ em comissões mas pouparia 840€ em IRS.

É
verdade que, neste último caso, se o ano 2014 correr bem as mais-valias
terão igualmente de ser pagas. Ou pelo menos terão de ser chutadas
novamente para 2015 . Pessoalmente eu gosto sempre de ter uma almofada
financeira para um ano que venha menos positivo. E, como diz o ditado,
pagar impostos e morrer quanto mais tarde melhor!

Comment List

  • Anónimo 27 / 12 / 2013 Reply

    Boas Tiago,

    Olha tenho ideia que acabou essa isenção dos 500€ para os pequenos investidores, o que significa que agora mesmo que seja apenas 1€ é taxado.

    Podes confirmar?

    Melhores Cumprimentos,
    André

    PS- Aproveito para te desejar um próspero ano novo!

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 27 / 12 / 2013 Reply

    Tens razão André! Obrigado!
    Já actualizei.
    Abraço e bom ano novo 🙂

  • FilipeBS 27 / 12 / 2013 Reply

    Um post muito informativo. Parabéns!
    Por acaso não invisto via Portugal, mas os princípios aplicam-se também ao país onde sou taxado.
    Já agora, só mais uma nota. Em Portugal as mais-valias são taxadas a 28%, o que a meu ver é uma enormidade. Como sou residente fora de Portugal, optei por investir através de lá, onde a taxa sobre mais valias é de 20%.
    Depois queixam-se da fuga de capitais…

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 27 / 12 / 2013 Reply

    Olá Filipe,
    200% de acordo, é vergonhoso o nível desta taxa sobre as mais-valias. O estado desta forma só estimula a fuga de capitais, todos os grandes investidores conseguem com relativa facilidade um domicílio fiscal que lhes permita fugir a este absurdo imposto (quando comparado com o que se pratica por esse mundo fora). Se é verdade que o praticado há uns anos era demasiado baixo (10%, no máximo), não é menos verdade que 28% é um assalto…

  • Fernando 28 / 12 / 2013 Reply

    eheheeheh…

    Vai explicar isso ao BE e ao PCP… eles vão perceber que tens razão… mas virão para os jornais dizer que és um "xupista" ladrão que quer roubar os mais pobres.

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 28 / 12 / 2013 Reply

    É verdade Fernando! É por isso que eu não suporto demagogia política 🙂

Deixe uma resposta