EDP continua em clara tendência descendente

Tiago Esteves

Depois de uma pausa por motivos pessoais, estou de volta às análises. Ainda não será a tempo inteiro, mas penso conseguir já tempo suficiente para fazer pelo menos 2-3 posts semanais. E o relançamento das análises acontecerá com uma leitura à EDP, na sequência da vitória das energéticas na sondagem que deixei activa durante a minha ausência. Depois de em finais de 2015 ter quebrado o range de lateralização, o título tem tidogrande dificuldade em recompor-se, com uma sequência de 9 lower-highs de médio prazo desde o início do movimento descendente. Nada haverá a fazer em termos de esperança de recuperação enquanto este padrão tiver continuidade. Aliás, este padrão é em muito semelhante ao movimento ascendente passado entre 2012-14, que conduziu a EDP a uma significativa subida. Obviamente neste caso estamos a lidar com lower-highs em vez de higher-lows, mas a essência do comportamento está lá.Importa agora procurar por sinais de inversão de médio prazo antes de testar uma entrada. Apesar dos quase 2 anos de desvalorização, a quebra em termos percentuais é inferior a 30%. Pouco expressiva quando comparada com os -70% entre 1998-03 ou os -67% entre 2007-12. Não quero com isto dizer que o movimento actual atingirá tais proporções, mas não existindo também indícios que apontem para o contrário convém manter a atitude defensiva. O primeiro passo para nos encaminharmos no sentido de uma inversão de médio prazo passaria pela quebra em alta do máximo relativo dos 2,93€. Não seria por si só suficiente, mas seria um enorme sinal de força. O suporte nos 2,635€ marca para já a fronteira inversa. É uma zona de força moderada mas servirá sobretudo como indicador, já que não se espera que aguente a pressão descendente de uma nova investida.

Para negociação, até que a tendência ascendente de médio prazo esteja recuperada, a proceder-se a uma entrada terá de ser com recurso ao short-selling. Não há, para já, espaço para entradas longas. O melhor selector de ponto de entrada será o timeframe horário, já que tem sinalizado padrões de inversão de curto prazo em quase todos os lower-highs recentes que se formaram. E apesar de ter sido sinalizado um padrão de inversão de descendente para ascendente, repito que não há para já espaço para entradas longas. Não que não se possam fazer, e que não resultem inclusive em lucro. Mas o risco de negociar contra a tendência principal não deve ser ignorado. Para já, temos neste timeframe uma pequena referência nos 2,756€ que a ser quebrada poderá motivar uma retracção. Parece-me, contudo, que o bom momento se pode estender por mais algum tempo, gerando depois uma retracção mais significativa. Acima de tudo, convém ficar bastante alerta a todas estas movimentações. Ao mínimo sinal de fraqueza, será prudente sair ou shortar. Se os sinais de força acabarem por se revelar, então a minha perspectiva altera-se.

Comment List

  • José U. 12 / 02 / 2017 Reply

    Bem-vindo de volta!
    E, já agora, parabéns pela conclusão do Doutoramento.
    Saudações,
    José

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 19 / 02 / 2017 Reply

    Obrigado José!

Deixe uma resposta