Energéticas – Galp soma e segue

Tiago Esteves
Mudamos hoje de sector de análise, colocando o foco da atenção nas energéticas. A primeira da lista é a Galp, que continua a apresentar um desempenho muito acima da média do PSI20. A subida deve-se em parte à forte correlação com o petróleo, mas há também o seu quê de mérito individual que há que salientar. Uma das particularidades desta subida tem sido a volatilidade significativa no gráfico diário, que dificulta a estratégia que a meu ver é mais adequada para o título neste momento: trend following. Se olharmos para o gráfico semanal em vez do diário detectamos com maior pormenor os higher-lows, que na maioria das situações têm respeitado o ponto de referência anterior. É, portanto, um bom indicador de continuidade da tendência. Seguindo essa lógica, o mais recente mínimo relativo está nos 11,955€, e será por isso esse o ponto que não queremos ver quebrado em nome do bem estar de médio prazo da Galp. A introduzir entropia na equação está a forte resistência que originou uma significativa reacção descendente em finais de 2014, que pode de alguma forma atrasar o crescimento do título. Será pouco provável que seja suficientemente forte para causar uma inversão de tendência, mas pelo menos uma consolidação mais prolongada é de certa forma expectável.

Já no gráfico horário, a quebra dos 13,015 representou um sinal de preocupação que convém vigiar. Não tanto este ponto, para já, mas sobretudo os 12,79€. Será a fronteira de curto prazo, que impedirá o título de retroceder em demasia. Será, mais importante de tudo, o indicador de salubridade da tendência ascendente de curto prazo. Há, portanto, que manter essa referência sob vigilância. Enquanto estivermos a consolidar acima dos 12,79€, a probabilidade de se quebrar a antiga resistência aumenta consideravelmente. Se esse ponto de suporte quebrar, é então provável que a cotação encoste ao mínimo relativo no gráfico semanal.

Deixe uma resposta