Energéticas – REN mantém-se tecnicamente refém da política de dividendos

Tiago Esteves
Ao olhar novamente para a REN, reparei que já há largos meses que não lhe fazia uma análise. O esquecimento acaba nestes casos por ser algo positivo, pois podemos verificar se o nosso raciocínio na altura tinha ou não uma base lógica. Neste caso, nas duas últimas análises que lhe havia feito defendi a pressão a que estaria sujeita após distribuição de dividendos. A fortíssima relação entre o preço e a política de dividendos é vista de forma maestral na retracção milimétrica no gap down que assinalou o pagamento do mesmo. Nota-se que o mercado reconhece esse ponto como uma marca de grande peso, e não me espantaria se só lá para o fim do ano ou início do próximo conseguíssemos o breakout (altura em que a expectativa voltará a reacumular-se). Obviamente que estou a falar de um breakout apenas por pura especulação, pois não há de momento nenhum sinal técnico que aponte nesse sentido.

O gráfico horário aponta inclusive no sentido descendente, após ter sido recentemente activado algo que eu consideraria como um topo arredondado. Estamos agora acima de um patamar de suporte (que ocorreu na exacta medida da projecção do padrão), entre os 2,61 e os 2,614€. Caso este quebre, é expectável que o movimento descendente se mantenha. Olhando para a direita do gráfico neste timeframe, parece-me bastante óbvio que estamos a consolidar. Em principio, dada a tendência prévia e o desgaste que a zona de suporte já leva, a quebra acontecerá no sentido descendente. Ainda assim, será de esperar por uma efectivação do mesmo. Neste género de consolidações, acaba por ser proibido adivinhar a direcção de activação. É esperar para ver e agir em conformidade.

Comment List

  • Nuno Miguel 10 / 09 / 2016 Reply

    Excelente artigo, parabéns.
    Cumprimentos

Deixe uma resposta