Energia – EDP a atingir resistência (e algumas dicas de money management)

Tiago Esteves
Depois de um sólido rally ascendente, a EDP enfrenta agora um sério desafio no confronto com este ponto de resistência. Os 3,18 poderão representar uma dificuldade de curto prazo, mas na minha opinião acabarão por ser ultrapassados. Dar-se-à, isso sim, provavelmente um pullback após quebra. E será, então, na força desse pullback que veremos se o movimento ascendente continuará. Para já, no médio prazo, será aos 2,91€ que devemos estar atentos. É o grande suporte de referência, e enquanto não for quebrado em baixa o título mantém-se bullish no médio prazo.

No que ao curto prazo diz respeito, temos mais alguns pontos de referência que devem ser vigiados. Olhando para o gráfico horário, há dois que saltam à vista. A quebra dos 3,1€ poderá representar a primeira fase de retracção, e deve ser usada para um fecho parcial de posições longas. Assumindo, por exemplo, uma divisão da posição em 4 partes, e sendo a primeira parte fechada nesta zona, a segunda ficaria reservada para o compromisso descendente dos 3,07. Num worse case scenario, seria então a totalidade da posição encerrada nos 2,91€. Se, imaginemos, houvesse uma retracção até às duas primeiras zonas mas sem compromisso da terceira, deveriam então ser procuradas zonas de força (quebras de resistências de curto prazo) para recomprar essas posições. Diminuir-se-ia assim o risco inerente a uma inversão definitiva de tendência, maximizando-se as possibilidades de aproveitar o grosso de uma continuação do movimento ascendente.

 

Deixe uma resposta