Exportações e importações a crescer com o maior parceiro comercial de Portugal

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

As trocas de bens com Espanha, o maior parceiro comercial de Portugal, têm aumentado nos últimos anos, com as exportações e as importações a crescerem continuamente e a balança desfavorável para a economia portuguesa.

Segundo dados fornecidos pela Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal (AICEP) sobre o comércio de bens desde 2013 até aos primeiros dois meses deste ano, Espanha manteve-se neste período como o primeiro fornecedor de bens a Portugal, com uma quota atual de 31,9%.

Espanha, que é a quinta maior economia da União Europeia e está entre os 20 maiores mercados mundiais, foi também o primeiro cliente das exportações portuguesas neste intervalo, com uma quota de 24,8% em janeiro e fevereiro deste ano.

Portugal, por sua vez, foi o quarto cliente das exportações espanholas, em 2017, com uma quota de 7% – nos anos anteriores tinha variado entre a terceira e a quinta posição. Como fornecedor de bens a Espanha, tem permanecido desde 2013 na oitava posição, com uma quota que no ano passado foi de 3,7%.

As exportações de bens para Espanha aumentaram desde 2013 até 2017 a uma média de 5,6% por ano, passando de 11,17 mil milhões para 13,88 mil milhões de euros neste período.

No mesmo intervalo de cinco anos, as importações de Espanha também cresceram, a uma taxa média anual de 4,7%, de 18,39 mil milhões, em 2013, para 22,09 mil milhões de euros, em 2017.

Em janeiro e fevereiro de 2018 as exportações para Espanha somaram 2,33 mil milhões de euros, mais 1,9% do que no mesmo período de 2017. As importações, nos primeiros meses deste ano, atingiram os 3,71 mil milhões de euros, registando uma subida de 13% face ao período homólogo.

O saldo da balança comercial de bens continuou, portanto, negativo para Portugal, tendo evoluído de -7,21 mil milhões, em 2013, para -8,20 mil milhões de euros, em 2017.

O coeficiente de cobertura das importações pelas exportações melhorou entre 2013 e 2016, de 60,8% para 64,1%, mas em 2017 diminuiu para 62,9%.

O número de operadores exportadores para Espanha passou de 5317 em 2012 para 5571 em 2016, ainda de acordo com dados fornecidos pela AICEP.

Os produtos mais exportados para Espanha, em 2017, foram veículos e outro material de transporte (11,5% do total), produtos agrícolas (10,9%), metais comuns (10,7%), o vestuário (9,7%) e plásticos e borracha (9,1%).

As principais importações de Espanha, no ano passado, foram produtos agrícolas, (15,2%), máquinas e aparelhos, (12,4%), metais comuns, (10,5%), veículos e outro material de transporte (10,4%), e produtos químicos (8%).

Quanto à balança comercial de serviços, o saldo tem-se mantido positivo para Portugal e atingiu os 1,13 mil milhões de euros em 2017.

As exportações de serviços para Espanha aumentaram anualmente entre 2013 e 2017, de 2,60 mil milhões para 3,94 mil milhões, sobretudo devido ao setor das viagens e turismo, responsável por 50,6% do valor registado no ano passado. Em segundo lugar, surgem os transportes, com uma quota de 22,1%.

As importações de serviços de Espanha variaram no mesmo período entre 1,97 mil milhões e 2,82 mil milhões de euros. As viagens e turismo foram também o setor com mais peso, 42,6% do total.

Em 2017, Espanha foi responsável por 13% das exportações de serviços portugueses e forneceu 19,2% dos serviços importados por Portugal.

A balança global de bens e serviços resulta, portanto, favorável para Espanha. Em 2017, o saldo negativo para Portugal foi de -7,05 mil milhões de euros e a taxa de cobertura de importações pelas exportações de 71,4%.

IEL // JPS

Lusa/Fim

Deixe uma resposta