Financiamento especializado aumenta 13% no 1.º trimestre

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Os produtos de financiamento especializado aumentaram 13% no primeiro trimestre de 2018 devido sobretudo à atividade internacional, divulgou hoje Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting (ALF).

“Neste período, o setor do Factoring (operação financeira feita por bancos ou sociedades, que permite às empresas com problemas de liquidez adiantar os recebimentos dos seus clientes) manteve índices positivos, com as associadas da ALF a tomarem cerca de 5,8 mil milhões de euros em faturas, o que representa um aumento de 13%, em relação ao valor registado no período homólogo do ano passado”, afirma a ALF em comunicado.

Esta aceleração expressiva deveu-se sobretudo à atividade internacional (importação e exportação), que perfez 1,1 mil milhões de euros e atingiu um crescimento homólogo de 21,3%, explica a associação.

Também o ‘Factoring Doméstico’ cresceu, totalizando uma produção de 2,6 mil milhões de euros, bem como o ‘Confirming’ (instrumento através do qual a instituição de Factoring efetua o pagamento aos fornecedores do seu cliente, podendo também assumir a forma de adiantamento), que avançou 23,9%, para um valor total estimado de créditos tomados de 2 mil milhões de euros.

Para a ALF, “estes dados mostram que, no primeiro trimestre de 2018, a taxa de penetração do ‘Factoring’ atingiu uns expressivos 11,7% do Produto Interno Bruto (PIB)”.

O setor do ‘Leasing’ também subiu, com destaque na ‘Locação Mobiliária’, que “fica marcada por um aumento estimado de 15%, correspondendo a um valor de produção de 465 milhões de euros, destacando-se o segmento das viaturas (com 10.655 novos contratos) e dos equipamentos (com 2.203 novos negócios)”.

A produção da Locação Financeira Imobiliária observou um aumento de 4%, atingindo um valor de mais de 191 milhões de euros, acrescenta a associação.

“Quanto ao ‘Renting’, as associadas da ALF fecharam o primeiro trimestre com um total de 7.016 viaturas novas adquiridas, o que corresponde a uma produção de 140 milhões de euros, mais 2% do que em igual período do ano passado. Já a frota gerida pelas Rentings ascende às 106.132 viaturas, o que corresponde a um crescimento de 7% e um valor contabilístico de quase 1,6 mil milhões de euros”, segundo a associação.

SP // JNM

Lusa/fim

Deixe uma resposta