Geron – Entrada curta

Tiago Esteves

Geron Corp (NYSE:GERN), mais uma empresa anémica do mercado americano, que se tem afundado progressivamente. Encontra-se actualmente debaixo da alçada da LTd de médio prazo, respondendo com uma descida acentuada sempre que toca na linha.
Tecnicamente, muito bem comportada. Apresenta até agora uma sequência de 5 lower-highs e os 4 lower-lows correspondentes.
O volume tem vindo a diminuir ao longo das últimas sessões, dando a entender que a euforia do ressalto se está a esfumar. Felizmente respondeu muito mal à LTd, sendo as sombras das velas testemunho da força vendedora que se faz sentir acima da linha.
Embora não tenha por hábito fazer análises com indicadores, desta vez vou utilizar o RSI para apoiar a minha opinião. Como se pode ver na imagem de baixo, a acção tem mostrado o típico comportamento bearish, com muita tolerância ao estado oversold (por vezes prolonga-se por vários dias sem reacções de alta, tendo apresentado 7 toques neste curto espaço). Pelo contrário, só o facto de se aproximar do limite superior fá-la reagir em baixa, tendo apenas tocado a linha uma vez. Outra divergência que me faz acreditar que uma queda deverá estar próxima é o que tem ocorrido nos últimos dias. Aumento da cotação com uma diminuição do RSI.
Dois sinais de preocupação (embora seja uma preocupação controlada): A MMe20 a cruzar a MMe50 e o martelo invertido de hoje.
Dada a área em que se insere esta empresa, é sempre essencial manter um stop real, não vão eles lembrar-se de anunciar que descobriram a cura para o cancro e ela dispara por aí fora. Deixei o stop um pouco acima da LTd, para lhe dar algum espaço de manobra. Fica nos 4,57. O target, enquanto este comportamento se mantiver, será um lower-low. Por isso, tudo o que venha abaixo do anterior mínimo é de aproveitar.

Embora tenha já entrado há dois dias só agora tive oportunidade de escrever a análise. De qualquer forma pouco se alterou desde então, e quem quiser entrar curto ainda está a tempo, porque ela ainda está à espera

Deixe uma resposta