A Grécia conseguiu finalmente formar governo! E agora?

Tiago Esteves
Agora… fica tudo na mesma. Adiou-se o inadiável, que passará na minha opinião por uma saída da Grécia do Euro. O governo formado é composto por uma ampla representação ideológica, mas o consenso político está longe de existir. O que acontecerá quando forem necessárias mais medidas de austeridade para controlar um défice que continua desgovernado? O que acontecerá quando o povo sair às ruas, exigindo a uma parte do governo que cumpra o prometido nas eleições e rasgue o acordo com a Troika? Não dou 2 anos até este governo se desmanchar…

E o que acontece a uma Europa que continua a emprestar dinheiro a fundo perdido a um país que não consegue cumprir os limites do défice nem impor reformas estruturais? A desconfiança vai manter-se, alargar-se… E todos perdem, perdemos nós e perdem os Gregos, que só poderão recomeçar do zero quando os deixarem chegar ao zero.  É politicamente extenuante impor cortes salariais a um povo que sai às ruas e se manifesta de forma tão violenta! É mesmo contraproducente…

Se não se pode passar um ordenado de 1000 para 800 euros, então que se mantenha o número 1000, passando-se o valor real para 800. É esse o objectivo da desvalorização da moeda, cortar salários recorrendo à ilusão óptica. A tal “saída controlada”, com uma moeda paralela, indexada ao euro e com desvalorização controlada, pode não ser a melhor solução. Mas em breve poderá mesmo passar a ser a única solução viável.

Deixe uma resposta