Hain Celestial Group – Análise Técnica

Tiago Esteves

Tiago Esteves

, Sem categoria
A Hain Celestial (HAIN) é uma empresa relacionada com bens de consumo, em franco crescimento sobretudo nos últimos dois anos. Neste recente período cresceu mais de 200% de forma bastante linear e sem sobressaltos de relevo. Apesar de a LTA a vermelho não ser ainda muito relevante tecnicamente, no médio prazo apresenta um crescimento sólido e uma tendência claramente ascendente. No último meio ano tem vindo a acelerar a subida, desenhando-se a LT assinalada a verde no gráfico e que conta já com 5 zonas de aproximação e reacção.

Não deixando de ser uma acção extremamente promissora, neste momento existem sinais de aviso que devem ser tomados em conta, deixando-me algo reticente no que diz respeito ao seu desenvolvimento no curto-médio prazo.
Um desses sinais é a exacerbada amplitude da LT traçada a verde, que irá ser quebrada mais cedo ou mais tarde. Outro sinal preocupante é a marcada sobrecompra. Quem costuma acompanhar as análises que faço sabe que um dos poucos indicadores a que dou atenção é o RSI, e neste momento temos uma divergência de subida na cotação e descida nos picos de sobrecompra.
Por fim, preocupa-me a ausência de suportes de relevo. Sempre que uma subida é feita sem correcções significativas, as pausas intermédias representam suportes muito mais fracos do que quando se dão correcções de maior amplitude. Neste caso temos apenas uma zona de suporte, quase 40% abaixo da actual cotação.

Resumindo, shortar um título tão bullish é demasiado perigoso pois o estado de sobrecompra pode prolongar-se em modo de bolha. Entrar longo neste momento também é demasiado perigoso pois pode (e eu apostaria nisso) sofrer em breve uma correcção significativa. O mais prudente será esperar que ela se volte a aproximar da LT de médio-longo prazo e apostar numa entrada longa. Sendo essa meta demasiado ambiciosa, espere-se pelo menos que seja criado um suporte de relevo para nos proporcionar uma zona de entrada com um menor grau de risco. Não deixará é de ser, por tudo isto, mais uma a manter sob vigilância

Deixe uma resposta