Head and Shoulders de continuação – Um pouco de teoria

Tiago Esteves

Este pequeno texto foi escrito porque existe alguma confusão no que diz respeito aos H&S como padrões de continuação. Eu próprio me incluía no lote dos confusos.
Estamos habituados a olhar e a pensar num H&S como um padrão de inversão de tendência, sendo desconhecido para muita gente que os H&S podem ser também padrões de continuação.
Sobre os tradicionais não vou falar porque existe imensa informação acerca desse assunto. Já em relação aos H&S de continuação não existe assim tanta coisa.
Vamos ver então os dois padrões de continuação de tendência de forma mais pormenorizada.
Como vão reparar pelas imagens, as figuras são semelhantes às de inversão, sendo a principal diferença a tendência que os precede. Aliás, isso é evidente pelos seus nomes (continuação/inversão).

H&S de continuação bullish
Neste caso, à semelhança do que acontece nos padrões de inversão, temos também uma neckline que é uma resistência e a quebra dessa resistência levará a uma subida da cotação. Uma das maiores particularidades está nos volumes. Enquanto na sua equivalente de inversão o volume aumenta nas descidas de preço que formam o ombro esquerdo e a cabeça e diminui nas subidas, no padrão de continuação o volume aumenta nas subidas e diminui nas descidas. Quando se dá a quebra da neckline, existe em ambos os padrões o correspondente aumento abrupto de volume (a confirmar a quebra). Também no pullback não há diferenças

H&S de continuação Bearish
No H&S de continuação bearish temos também a neckline a servir como suporte.
Tal como no caso acima descrito, aqui os volumes são igualmente o factor de distinção entre o padrão de inversão e o de continuação (a somar à já referida tendência precedente). Enquanto no H&S de inversão o volume aumenta nas subidas de preços que formam o ombro esquerdo e a cabeça e diminui nas descidas, durante o H&S de continuação aumenta nas descidas e diminui nas subidas.
No que diz respeito tanto à quebra como ao pullback, não há também aqui alterações.

Deixe uma resposta