Ibersol não espera “impacto especial” de eventual fusão da Pizza Hut com Telepizza

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O presidente da Ibersol disse que a empresa não espera “um impacto especial” da eventual fusão entre as cadeias de restaurantes Pizza Hut, marca que representa em Portugal, e a Telepizza.

Num evento na bolsa de Lisboa, de comemoração dos 20 anos da Ibersol em bolsa, António Pinto de Sousa disse ainda só saber do eventual negócio por informações da imprensa, mas mostrou-se descansado quanto a possíveis impactos.

“Não esperamos um impacto especial”, afirmou apenas.

O Grupo Ibersol é a representante em Portugal da marca Pizza Hut (empresa detida pelo grupo norte-americano Yum!), onde tem cerca de 90 restaurantes (próprios e franquiados).

Já o grupo Telepizza é espanhol, tendo em Portugal cerca de 100 estabelecimentos (próprios e franchisados).

Sobre a expansão do negócio, o presidente da Ibersol referiu que para este ano o grupo espera a abertura de mais estabelecimentos, mas reservou informação detalhada para a apresentação dos resultados do ano de 2017, que deverão ocorrer em abril.

A Ibersol, além da Pizza Hut, detém em Portugal a Burger King (cerca de 70 restaurantes), assim como as marcas KFC, O Kilo, Pasta Caffé, Pans, Miit, entre outras cafetarias e quiosques.

No total, o grupo detinha 313 lojas em Portugal no final de setembro, sendo que então anunciou a abertura de mais 7 até final do ano.

Já em Espanha o grupo detém 315 estabelecimentos (179 próprios e 136 franquiados), das marcas Pizza Móvil, Pizza Hut (apenas 3), Burger King, Pans, Fresco, Ribs e outras concessões (como em aeroportos e comboios).

O grupo reforçou o negócio em Espanha em 2016 com a compra, por 105 milhões de euros, do Eat Out Group, que detém marcas como Pans & Company, Ribs, Santamaría ou FrescCo.

No total, em Portugal e Espanha o grupo detém mais de 600 restaurantes, e está também presente em Angola, com KFC (9 lojas) e Pizza Hut (1 loja).

Os últimos resultados da Ibersol são refentes ao período entre janeiro e setembro de 2017 quando teve lucros consolidados de 21,8 milhões de euros e um volume de negócios de 332,5 milhões de euros.

O grupo tem como principal acionista a ‘holding’ ATPS, de António Teixeira e António Pinto de Sousa, com 55% do capital.

As ações da Ibersol, que regressou em meados de 2016 ao PSI20 (o principal índice da bolsa portuguesa), fecharam hoje a perder 1,64% para 12 euros.

IM // JNM

Lusa/Fim

Deixe uma resposta