A ilusão

Tiago Esteves

O mercado accionista está coberto de ilusões. A ilusão mais badalante é o pensamento constante que assola os mais ingénuos e os faz acreditar que é fácil ter sucesso e virar milionário num instante. Muitos foram os que tentaram, muito poucos os que o conseguiram. Ao contrário do que se diz e pensa, a bolsa não é um jogo de soma positiva. É-o num bull market, deixa de o ser num bear market, onde a soma é negativa. Para eu ganhar alguém tem de perder. Não imediatamente, atenção! Mas um dia, o dia em que o topo for atingido e um pobre azarado comprar as acções mais caras da história financeira de uma empresa… para logo a seguir as ver cair. Cair muito, por vezes.
Perdem-se os trocos amealhados durante uma vida inteira, num instante. Tantas vezes essa história se repete, que me mete confusão porque tanta gente arrisca as suas poupanças não entendendo nada de investimento em acções. Porquê? É a ilusão, pelas histórias que se contam, pelos mitos que se criam. Toda a gente sabe que nas bolhas, o sinal de alarme que dita a retirada do smart money é a entrada do dumm money.
Toda a gente não, os dummies nunca chegam a saber. Só tarde demais, quando muito do investido já lá vai, lá longe! Raramente esse dinheiro é recuperado, pois o golpe psicológico é demasiado poderoso.
Os que andam nisto com alguma regularidade sabem o que é perder dinheiro. E sabem o que custa, quando a perda é bastante significativa. Os mercados são selectivos, vão deixando ficar os fortes, passando para trás os fracos. Investir não é para toda a gente. Quer dizer… investir é para toda a gente, e cada vez mais. Ter sucesso nos mercados é que já não é para todos.
E porque estou eu a escrever isto, hoje? Porque me custa ver tanta gente cega com a ilusão, uma vez mais. São às dezenas por toda a parte a dizerem que o bull está de volta, que agora é que elas bateram no fundo.
Até pode ser, mas… Qual fundo? Um fundo que aguentará um bull trap de um mês, para ser logo a seguir substituído por outro fundo, mais fundo? Sublinhe-se o realce dado à palavra fundo, pois ela é daquelas importantes no mundo da bolsa.
Não será óbvio que a economia mundial está a passar uma fase crítica, com muito ainda para vir à tona? Todos os resultados e contas que têm sido esteticamente embelezados, até quando se manterá a maquilhagem? O subprime, a crise imobiliária, o preço do petróleo… Assuntos que mexem com quase todas as empresas a nível mundial, de forma directa ou indirecta. Ainda há muitos podres para serem descobertos, muita margem para quedas.
Os mercados estão instáveis, ninguém pode prever o dia de amanhã. Mas podemos de certa forma prever o futuro próximo. E tomar as devidas precauções. Isto se não queremos acabar na estatística, mais dumm money para engordar os bolsos de quem se soube precaver.
Como alguém dizia ontem, os mercados neste momento não estão para amadores…

Deixe uma resposta