Insolvências em Portugal diminuíram 8,5% em outubro em termos homólogos

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

As insolvências em Portugal diminuíram 8,5% em outubro face ao mês homólogo de 2016, segundo dados recolhidos pela Iberinform, que estima, em termos consolidados, uma redução de 17% face ao ano passado.

Segundo a filial da Crédito y Caución, registaram-se 4.947 insolvências até final do mês passado, mas as maiores descidas comparativas continuam a verificar-se em julho e setembro (18,3% em ambos os casos).

Em termos absolutos, em outubro, há registo de 653 insolvências, menos 61 do que no mês homólogo de 2016 e, no acumulado, são 4.947 as empresas insolventes (menos 1.023 do que em 2016).

Lisboa e Porto, segundo os dados disponíveis, são os distritos com valores absolutos de insolvências mais elevados, 1.421 e 1.001, respetivamente.

Contudo, em relação a 2016, estes números traduzem diminuições de 2,6% em Lisboa e uma “redução significativa” de 23,4% no Porto, refere.

Os decréscimos de insolvências mais significativos verificam-se em Angra do Heroísmo (68%), Beja (62%), Coimbra (44%) e Évora (40%).

A Madeira mantém-se em contraciclo, com um aumento de 8,7% no número de empresas insolventes.

Em termos setoriais, os setores de atividade que apresentam um decréscimo de insolvências com maior variação percentual em outubro são a indústria extrativa (40%), comércio a retalho (28,6%) e agricultura, caça e pesca (25,9%).

Já as telecomunicações são o único setor com um aumento “acentuado” de insolvências (28%), sinaliza.

Os dados disponíveis apontam ainda para que tenham sido constituídas 3.246 novas empresas em outubro, mais 348 em termos homólogos (aumento de 12%), tendo, no total, Portugal visto surgir 34.215 novos projetos empresariais, o que se traduz num aumento de 8,7% face ao ano passado.

A maioria dos distritos manteve o seu peso nas constituições, com o número mais significativo de novas constituições a registar-se em Lisboa, com 11.480 novas empresas constituídas em outubro, ainda que tenha sido com uma quebra de 3,9% em relação a 2016.

O Porto conserva a segunda posição, com 5.938 constituições (redução de 12,2%), e Braga surge em terceiro lugar, com 2.506 novas empresas (redução de 10,8%). Setúbal é o quarto distrito a nível nacional, com 2.360 constituições (mais cerca de 2% que em outubro de 2016).

Os setores que manifestam maior peso nas constituições são: outros serviços (46,3%), hotelaria/restauração (12,4%) e comércio a retalho (9%).

Segundo a Iberinform, não se verificaram descidas significativas, tendo a maioria dos setores mantido o seu peso no total de novas constituições por distrito.

ICO // CSJ

Lusa/Fim

Deixe uma resposta