Jerónimo Martins – Análise Técnica

Tiago Esteves
Num momento em que o Pingo Doce é tema de conversa por todo o lado, não poderia deixar de fazer uma rápida análise à Jerónimo Martins, título que aprecio tanto pela sua solidez empresarial como pelo rigor técnico que demonstra.

Apesar da conhecida conjuntura económica, as acções da JMT aguentaram estoicamente os dois últimos períodos Bear, somente com uma interrupção da tendência ascendente de longo prazo entre 2008-09, desde o qual já cresceu mais de 400%!!
É precisamente sobre essa tendência crescente de longo prazo que me debruçarei.
A JMT é uma empresa que se rege maioritariamente por LT’s, não respeitando linearmente suportes/resistências (eventualmente zonas). Em 2003 começou a formar-se uma LTA de muito longo prazo, que leva já 9 anos com 8 pontos de contacto e apenas uma quebra (08/09). Desde o fosso de Fevereiro de 2009 a sua tendência ascendente exacerbou-se, gerando uma LT de curto prazo (representada a verde na imagem) que, apesar de ter aguentado 6 meses, tinha demasiada angulação para se manter muito tempo. A LT de médio prazo (a vermelho) não será tão relevante tecnicamente pela carência de pontos de contacto existentes mas ainda assim não deve ser desprezada. O gap down recente, somado aos volumes crescentes na queda deixam adivinhar um reteste para breve a esta linha de suporte, que eventualmente poderá ser quebrada. A azul na imagem está representada a LT de longo prazo, que vem desde 2003 e será a referência mais sólida caso a linha vermelha não resista.
Apesar de ser ainda muito cedo, há que ter em atenção à possibilidade da formação de um movimento em pá de moinho. Pessoalmente apostaria numa lateralização relativa nos próximos meses, quebrando por inércia a linha a vermelho e indo de encontro à LT de longo prazo. A haver uma entrada, seria prudente esperar até tal acontecer. Se não chegar lá, poderá ser arriscado comprar perto de um máximo, sem suportes de peso próximos. E não será cauteloso ir contra o ditado: sell in May and go away…

Deixe uma resposta