Jerónimo Martins consolida para o ataque

Tiago Esteves
Devagar mas consistentemente a Jerónimo Martins continua a progredir no sentido ascendente, deixando cada vez mais para trás a memória de ter perdido 60% do seu valor na queda que terminou em 2014. Olhando para o seu percurso recente em perspectiva, nota-se que cada consolidação tem vindo a servir como oportunidade de reforço, não tendo ainda havido sinais claros de fraqueza no último ano. O grande problema deste título tem sido a falta de “respeito” pelas zonas técnicas defensivas que geralmente servem para colocação de stops, o que tem valido diversas saídas em falso para quem se rege por análise técnica. É, por isso, mais importante do que em qualquer outro título adicionar aqui uma referência baseada num indicador de volatilidade, para pelo menos ajudar a minimizar estas saídas em falso.

Olhando para o momento actual, estamos precisamente na zona de fogo. A cotação tocou na última sessão numa importante resistência, mas em princípio a mesma será quebrada em alta. A julgar pelo comportamento recente, seguir-se-à à quebra em alta uma retracção, nova consolidação, arranque, e depois uma retracção consolidativa. A testar uma entrada segura, seria no pullback após quebra.

A julgar pelo gráfico horário, teremos movimentações já no início da próxima semana. Em condições normais, diria que a consolidação triangular quebraria em alta e seria o impulsionador para a quebra da resistência do gráfico diário. Mas confesso que existe ali um sinal de preocupação. Com a galvanização ascendente que se verificou na subida rápida pré-consolidação, seria de esperar um breakout nos primeiros dois terços da consolidação. A falha desse movimento poderá indiciar hesitação, que por sua vez pode levar a uma inviabilização do triângulo. A próxima sessão de segunda-feira será um excelente indicador de expectativas de curto prazo. Caso o breakout ainda ocorra, a quebra da resistência no gráfico diário pode vir a verificar-se. De contrário, podemos esperar uma reaproximação aos 14,5€ antes de voltar a dar-se um movimento ascendente. Seja como for, a longo prazo a Jerónimo Martins está bem e recomenda-se.

Deixe uma resposta