Juiz solicita informações sobre investidores que compraram ações da Oi nos últimos três meses

Agência Lusa

O juiz do processo de recuperação judicial da operadora de telecomunicações Oi pediu ao órgão regulador do mercado de capitais do Brasil que identifique os investidores que mais compraram e venderam ações da empresa nos últimos três meses.

O pedido de envio do nome dos investidores que comparam ações da Oi no sistema ‘day trade’ foi feito na segunda-feira pelo juiz Fernando Viana, da 7.ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, num despacho enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

As chamadas operações de ‘day trade’ são caracterizadas pela compra e venda de títulos num mesmo dia, de maneira muito rápida.

O aumento no volume de operações de compra e venda de ações da empresa na bolsa de valores de São Paulo em agosto levantou suspeitas do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), que pediu ao juiz que esclarecesse junto a CVM uma “possível movimentação mobiliária [de ações] atípica da Oi”.

O juiz Viana acatou o pedido e determinou que a resposta da CVM seja enviada diretamente ao seu gabinete, de forma sigilosa.

A Oi está num processo de recuperação judicial desde 2016 com o objetivo de reduzir o passivo, que ronda os 65,4 mil milhões de reais (cerca de 13,8 mil milhões de euros).

A Pharol era a principal acionista daquela companhia, detendo 27,18% através da sua subsidiária Bratel.

Em abril, entretanto, a Pharol informou que “após a homologação do acordo pelo Juízo de Recuperação Judicial e da sequente transferência de 33,8 milhões de ações existentes na tesouraria da Oi”, a empresa “passou a ser titular de 326.259.859 ações ordinárias e 1.800.000 ações preferenciais, totalizando 328.059.859 ações, representativas de 5,51% do capital social da Oi”.

CYR (ALYN) // JNM

Lusa/Fim

Deixe uma resposta