Lagarde preside hoje à sua primeira reunião de política monetária no BCE

Agência Lusa

Christine Lagarde participa hoje na primeira reunião de política monetária como presidente do Banco Central Europeu (BCE), numa altura em que se prepara para lançar a primeira revisão da estratégia de política monetária da instituição nos últimos 16 anos.

A ex-presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), que lidera o BCE há cerca de um mês, desde 01 de novembro, deverá enfrentar hoje, na conferência de imprensa após a reunião de política monetária, um leque de perguntas sobre a revisão da estratégia de política monetária da instituição que pretende implementar.

Os especialistas consideram que a revisão dos objetivos e forma de trabalhar da instituição servirá para Lagarde deixar a sua marca no BCE e resolver as divisões que surgiram no final do mandato do seu antecessor, o italiano Mario Draghi.

A ex-ministra francesa prepara-se para lançar a segunda revisão da estratégia da instituição nos seus 21 anos de história, que deverá desencadear uma série de debates sobre alguns dos temas mais divergentes no BCE, das taxas negativas às alterações climáticas.

Na última vez em que o BCE fez uma revisão da sua estratégia de política monetária, em 2003, a instituição tinha ainda poucos anos de existência e Lagarde trabalhava num escritório de advogados.

A maioria dos bancos centrais faz revisões estratégicas com regularidade, sendo o BCE um caso incomum, visto ter esperado desde 2003. A Reserva Federal norte-americana está a meio deste exercício, assim como o Banco do Canadá, de acordo com o Financial Times.

Na semana passada, Lagarde disse no Parlamento Europeu, que a revisão da estratégia da instituição “será conduzida por dois princípios: análise aprofundada e mente aberta”, acrescentando que “todas as pedras terão de ser movidas e todas as opções terão de ser analisadas”.

O ‘timing’ e formato da revisão estratégica do BCE ainda não é claro, mas os peritos consideram que pode motivar um grande abalo, numa altura em que o BCE é alvo de apelos para repensar a sua meta para a inflação, de abaixo mas perto de 2%, e para tomar mais medidas contra as alterações climáticas.

“Esta reunião será mais sobre o estabelecimento do tom da liderança de Lagarde como presidente do BCE do que sobre decisões de política” monetária, disse Chiara Zangarelli, economista do banco Nomura, citado pela AFP.

O BCE também deve revelar hoje as suas mais recentes previsões para o crescimento económico e inflação na zona euro, que, pela primeira vez, irão até 2022.

A zona euro deve crescer 1,1% este ano e a inflação continua abaixo do objetivo da estabilidade de preços, apesar dos estímulos implementados pelo BCE nos últimos anos.

O BCE anunciou, após a reunião de política monetária de 24 de outubro, a última com Mario Draghi na liderança, que as taxas de juro permaneciam inalteradas, reafirmando que o programa de compra de dívida iria recomeçar em 01 de novembro, por um período indeterminado, a um ritmo de 20 mil milhões de euros por mês.

Prevê-se que Lagarde mantenha inalterada a política monetária do seu antecessor Mario Draghi.

Na quarta-feira, na última reunião deste ano, a Reserva Federal norte-americana decidiu deixar as taxas de juro de referência inalteradas, entre 1,75% e 1,5%, considerando que é o nível apropriado para apoiar a expansão da atividade económica, a solidez do mercado laboral e uma inflação perto do objetivo de 2%.

ECR // EA

Lusa/Fim

Deixe uma resposta