Lucro da Brisa Concessão Rodoviária cresceu 35,5% para 83,2 ME no 1.º semestre

Agência Lusa

A Brisa Concessão Rodoviária (BCR) registou, no primeiro semestre deste ano, lucros de 83,2 milhões de euros, uma subida homóloga de 35,5%, num período em que o tráfego médio diário da concessionária subiu 6%.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa indicou que nos primeiros seis meses deste ano “a atividade macroeconómica continuou a revelar algum dinamismo, o que permitiu a continuação do crescimento sustentado do tráfego em toda a rede da concessão BCR”.

Assim, a sociedade contabilizou “uma variação positiva do Tráfego Médio Diário (TMD) de 6%, a que corresponde um volume de tráfego de 19.839 veículos/dia (face a 18.722 veículos/dia no 1º semestre de 2018)”, de acordo com a mesma nota.

A BCR angariou 299,1 milhões de euros em proveitos operacionais, uma subida de 7,8% face ao mesmo período do ano passado, indicou o grupo no documento.

“As receitas de portagem atingiram os 285,8 milhões de euros (mais 6,9% face ao 1º semestre de 2018), sustentadas pelo já referido acréscimo no tráfego e pela atualização das taxas de portagem em 1,1%”, revelou a concessionária.

A BCR destacou também “o crescimento nas receitas relacionadas com as áreas de serviço, as quais atingiram os 10,6 milhões de euros (mais 38,6% face ao período homólogo), beneficiando da recente renegociação de contratos”.

O EBITDA do grupo aumentou 10,5% para 232,4 milhões de euros. “O crescimento registado ao nível dos proveitos operacionais, em conjunto com a diminuição registada nas rúbricas de custos, permitiu um aumento da margem”, revelou a BCR.

A empresa adiantou também que, em 30 de junho, a sua dívida bruta era de 2.068 milhões de euros, “tendo sido amortizados no semestre 19,5 milhões de euros” referentes a um empréstimo do BEI (Banco Europeu de Investimento), adiantou a BCR.

O investimento da empresa (Capex) subiu 98,6% para 33,2 milhões de euros, informou a concessionária.

A BCR continuou a trabalhar, nos primeiros seis meses do ano, na reabilitação dos túneis de Águas Santas e na “obra de beneficiação e reforço do pavimento do sublanço Coimbra Norte (A1/A14) – Mealhada, na A1, numa extensão de 11,7 km” que foi concluída, entre outras atividades de reabilitação e melhoramento.

“A rede concessionada à BCR é de 1.124 km, incluindo o futuro acesso ao Novo Aeroporto de Lisboa, distribuída por 12 autoestradas. Com a rede praticamente construída, encontram-se atualmente em exploração direta 11 autoestradas, num total de 1.100,2 km em operação, sendo 1.014,1 km constituídos por sublanços com portagem”, detalhou o grupo.

ALYN // JNM

Lusa/Fim

Deixe uma resposta