Lucro da EDP aumenta 86% para 1.147 ME nos primeiros nove meses do ano

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O lucro da EDP totalizou 1.147 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2017, um aumento de 86% face a igual período de 2016, anunciou hoje a elétrica liderada por António Mexia.

Sem o impacto de eventos não recorrentes, nomeadamente a venda da empresa de distribuição de gás em Espanha, Naturgas, por 2,6 mil milhões de euros, o resultado líquido da EDP caiu 4% para 633 milhões de euros, que compara com os 661 milhões de euros do mesmo período do ano passado.

Até setembro, o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) fixou-se nos 3.269 milhões de euros, um acréscimo de 13% face aos 2.893 milhões de euros de igual período de 2016, e expurgados dos impactos não recorrentes baixou 4%.

Para tal contribuiu a “escassa hidraulicidade” (43% abaixo da média de longo prazo), especialmente quando comparada com o período homólogo “muito húmido” (com uma hidraulicidade 66% acima da média histórica) e pela exclusão de consolidação da Naturgas resultante da sua venda em julho, adianta o grupo em comunicado divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A capacidade instalada da EDP aumentou 8% em termos homólogos, para 26,5 GW em setembro, impulsionado pela adição de nova capacidade hídrica em Portugal, eólica e solar, especialmente nos Estados Unidos e no México.

Os custos operacionais do grupo liderado por António Mexia aumentaram 46 milhões de euros, para 1.207 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, suportado pelo efeito cambial e pela expansão do portfólio.

Até setembro, a dívida líquida da EDP caiu 5% para 15,1 mil milhões de euros, face aos 15,9 mil milhões de euros em dezembro de 2016.

A EDP empregava 11.716 pessoas em setembro, menos 259 do que no período homólogo.

JNM // CSJ/MSF

Lusa/Fim

Deixe uma resposta