Lucro da Inapa cai 80% para 100 mil euros no primeiro semestre de 2018

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O lucro da Inapa caiu 80% para 100 mil euros no primeiro semestre deste ano, face aos 500 mil euros do período homólogo, anunciou hoje a empresa de papel.

Em comunicado ao mercado, a empresa adianta que a faturação da Inapa desceu 3,8% no primeiro semestre de 2018, para 437,5 milhões de euros.

“Graças a diversas medidas de eficiência, os custos operacionais depois de provisões reduziram-se em 3,2 milhões de euros, permitindo fechar o semestre com um resultado líquido acumulado positivo de 100 mil euros”, disse a Inapa no mesmo comunicado.

Os primeiros seis meses do ano não foram fáceis para o setor “com o consumo de papel a cair 6,2% nos mercados onde a Inapa opera. O comportamento comercial superior ao mercado foi fruto da estratégia de aposta em produtos de maior valor acrescentado e de crescimento observado nos negócios de embalagem e comunicação visual”, garantiu a Inapa no comunicado.

No mesmo período, a margem bruta foi de 17,8%, 0,2 pontos percentuais abaixo do obtido em 2017. “Este decréscimo deveu-se à dinâmica dos distribuidores face à contração do mercado no início do ano, sendo ao mesmo tempo pressionados pelos aumentos de preços dos produtores. A partir do segundo trimestre houve aumentos de preços bem-sucedidos com recuperação de margens para níveis de 2017”, referiu a Inapa.

“No primeiro semestre de 2018 a performance da Inapa foi afetada pela redução global registada ao nível do consumo de papel e pela pressão ao nível das margens”, segundo o presidente executivo do grupo Inapa, Diogo Rezende, citado no comunicado. A empresa atingiu resultados operacionais de 6,9 milhões de euros, uma redução de 22,9% em relação aos primeiros seis meses do ano passado.

A Inapa reduziu o passivo financeiro, “sendo a dívida liquida consolidada a 30 de junho de 2018 de 293,2 milhões de euros, inferior em 2,9 milhões de euros comparativamente com junho de 2017”, adiantou o grupo.

“Em resultado de negociações levadas a cabo com alguns dos bancos financiadores, e num enfoque constante de atingir uma estrutura financeira mais sustentável, foram concluídos acordos de renovação e reprogramação dos planos de reembolsos, tendo a dívida corrente diminuído cerca de 10,7 milhões de euros (menos 16%)”, explicou a Inapa.

A empresa registou ainda alguns encargos não recorrentes, devido a “alguns processos de reestruturação ainda a decorrer nas áreas de logística e comercial, com impacto na Alemanha e maior relevância em França com a continuação do processo de otimização da estrutura após a integração da ex-Papyrus”, salientou a Inapa.

O grupo comprou a francesa Papyrus em 2016.

ALYN // JNM

Lusa/Fim

Deixe uma resposta