Lucro da Vista Alegre sobe 96% até setembro para 3,7 milhões de euros

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O lucro da Vista Alegre subiu 96% nos primeiros nove meses do ano, em termos homólogos, para 3,7 milhões de euros, “dando continuidade aos bons resultados” do primeiro semestre, divulgou hoje a marca de cristal e porcelana.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Vista Alegre adianta que os resultados consolidados até setembro “revelaram um bom desempenho face ao período homólogo de 2017, com o volume de negócios a aumentar 5%, para 63,9 milhões de euros” e o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) a subir 22% para 11,4 milhões de euros.

O volume de negócios pró-forma (caso as aquisições da Cerutil e Bordallo Pinheiro tivessem como referência 01 de janeiro deste ano) até setembro “foi de 70,4 milhões de euros e o EBITDA pró-forma no mesmo período atingiu os 13,4 milhões de euros”, refere o grupo.

O mercado externo “continua a ser o grande impulsionador desta boa ‘performance’, com 42,6 milhões de euros de vendas”, representando mais de dois terços (67%) do volume de negócios da Vista Alegre.

“Este aumento é justificado pelo crescimento do negócio em novos mercados, nomeadamente na Europa e Ásia. Na Europa destaca-se França e Espanha com maiores crescimentos”, acrescenta o grupo.

No mercado português, as vendas atingiram 21,3 milhões de euros, “alicerçado no negócio das lojas próprias e na consolidação de estratégia” do grupo, que apostou neste canal em Portugal.

A marca chegou ao México, um dos mercados de aposta, através de uma parceria com a Pineda-Covalin, que é considerada uma das principais marcas de luxo da América Latina.

O resultado operacional aumentou 50% para 6,7 milhões de euros.

Em 31 de agosto, a Vista Alegre comprou as empresas Cerutil e Faianças Artísticas Bordallo Pinheiro, com o “objetivo de fortalecer o posicionamento no contexto do setor e das empresas concorrentes, conferindo ao grupo Vista Alegre maior dimensão e diversificação e proporcionar a exploração da marca centenária Bordallo Pinheiro”, refere na informação.

Em termos de investimentos, a Vista Alegre investiu 17,5 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, “essencialmente no segmento do grés mesa (ampliação da capacidade produtiva da Ria Stone) e cristal/vidro (projeto CristalLux)”.

Tendo em conta o desempenho no terceiro trimestre, a Vista Alegre espera que “o último trimestre lhe dê continuidade, assente nos vetores estratégicos que têm vindo a ser implementados”, mais concretamente no lançamento contínuo de novos produtos com relevância nos mercados internacionais, nos prémios de design que dão visibilidade e exponenciam a notoriedade da marca, na comunicação por via das plataformas digitais, eventos e relações públicas, pela intensificação da participação nas principais feiras internacionais, pela aposta no crescimento do setor da hotelaria nos segmentos mais qualificados e no reforço da expansão para novos mercados e consolidação da presença dos atuais.

As apostas vão continuar em mercados como França, Itália, México, Índia e Canadá.

“No mercado francês onde a empresa já está presente com uma filial espera-se que venha a alargar a atual rede de distribuição por forma a aproximar cada vez mais a marca dos consumidores” e as operações no México e Índia “estão a iniciar-se e fruto da aposta comercial nos mercados da América do Norte, nomeadamente do Canadá, as vendas nesta geografia crescerão nos próximos trimestres”, avança.

ALU // EA

Lusa/fim

Deixe uma resposta