Lucro do Grupo SIMAB sobe para recorde de 5 milhões de euros em 2017

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O Grupo SIMAB – Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores anunciou hoje as contas consolidadas de 2017, tendo fechado o ano com lucros de 4,966 milhões de euros, o melhor resultado de sempre.

A subida de 34 mil euros nos lucros representa um aumento de 0,7% em relação a 2016.

Durante o ano de 2017, o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de 11,7 milhões de euros, um crescimento de 5% em relação ao ano anterior.

Já o Resultado Operacional (EBIT) recorrente alcançou 7,02 milhões de euros, valor próximo do registado em 2016.

A dívida financeira do Grupo SIMAB tem continuado a tendência decrescente de forma progressiva.

Em 31 de dezembro de 2017 a dívida do grupo era de 54,937 milhões de euros, 9,7% abaixo do registado no último dia de 2016 (60,815 milhões de euros) e 18,6% abaixo da dívida no final de 2015 (67,494 milhões de euros).

A dívida a longo prazo representava 88% do total da dívida no final de 2017.

Rui Paulo Figueiredo, presidente executivo (CEO) da ‘holding’ pública, destaca os investimentos realizados em 2017, como na “construção de um novo edifício” com 3.000 metros quadrados, na “reposição da capacidade produtiva dos mercados” e em “meios tecnológicos, que possibilitem diminuir a despesa operacional”, lê-se no comunicado.

“Espera-se, ainda, que se acentue a tendência para um crescimento ao nível das duas principais áreas de negócio dos mercados, logística e distribuição hortofrutícola, que continuarão a caracterizar os mercados abastecedores como uma das âncoras da atividade económica das áreas geográficas de mais direta influência”, assinalou o líder do grupo.

A SIMAB é uma empresa pública que gere quatro mercados abastecedores: área metropolitana de Lisboa e nas regiões do Minho, Alentejo e Algarve.

Os quatro mercados reúnem mais de 1.500 empresas de vários setores, num total de 6.000 colaboradores, que “trabalham para levar a mais de 4,6 milhões de consumidores as melhores frutas, os legumes mais frescos, o peixe acabado de pescar e tantos outros produtos que chegam à casa e à mesa desses consumidores”, salientou Rui Paulo Figueiredo.

Com um número de clientes anual a rondar os 1,8 milhões, os mercados abastecedores transacionam 750.000 toneladas de produtos por ano.

JZFO/CSJ // CSJ

Lusa/Fim

Deixe uma resposta