Lucros consolidados da Associação Turismo de Lisboa sobem 32% para 4,37 ME em 2018

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A Associação Turismo de Lisboa obteve um lucro consolidado de 4,366 milhões de euros em 2018, mais 32% face a 2017, disse a entidade à Lusa, quando se prepara para aprovar as contas em assembleia-geral.

As contas consolidadas da Associação Turismo de Lisboa (ATL) e da Lismarketing, detida a 100% pela ATL, revelam ainda um aumento das vendas e serviços prestados de 15,27%, tendo atingido os 16,681 milhões de euros no ano passado.

A estas acrescem mais de 5,2 milhões de outros rendimentos como rendas e cedências de espaços, um aumento de 17,2% face a 2017, enquanto a comparticipação de entidades públicas em diversos programas atingiu os 10,8 milhões (em 2017 tinha sido de 9,873 milhões de euros).

O ativo não corrente foi “superior a 42 milhões de euros, os fundos patrimoniais de cerca de 40 milhões [face a 34,49 milhões em 2017] e um endividamento de apenas cerca de 7,5 milhões resultante de investimentos realizados em anos anteriores”, refere a ATL na nota enviada à Lusa.

Para a ATL, estes números “confirmam os excelentes resultados alcançados pelo Turismo de Lisboa num ano em que nos Postos de Turismo da cidade foram atendidos mais de 2,6 milhões de turistas”.

Já o presidente adjunto do Turismo de Lisboa, José Luís Arnaut, considera, que “estes resultados evidenciam não só o peso crescente do turismo de Lisboa na economia nacional, da qual é, reconhecidamente, o principal motor, como confirma a visão estratégica e solidez da ATL, à qual se juntaram no ano passado mais 90 associados, elevando o total para 886″.

O Relatório e Contas de 2018 da ATL vai ser discutido em assembleia-geral na próxima segunda-feira.

No futuro, “à luz do novo Plano Estratégico (2020/2024)”, a ATL vai focar-se “na consolidação e no reforço da procura para o destino, e em particular no aumento da rentabilidade”, acrescenta José Luis Arnaut.

A realização de 290 ‘press trips’ com jornalistas estrangeiros, 57 ‘fam trips’ com profissionais e o estabelecimento de 19 novas parcerias com operadores turísticos, acrescidos dos indicadores financeiros, permitem ainda “fazer um balanço positivo da atividade promocional desenvolvida pela ATL, que participou ainda, em conjunto com dezenas de empresas associadas, em 21 feiras, workshops e roadshows nos mercados estrangeiros”, sublinham na mesma nota.

Segundo a mesma fonte, de janeiro a dezembro do ano passado, foram também vendidos 276.494 Lisboa Card, cartões que permitem circular nos transportes públicos e dão acesso gratuito a 35 museus, monumentos e outros sítios de interesse turístico, proporcionando também descontos em atrações e serviços, que consideram, de interesse para o turismo e cultura.

Já o diretor-geral da ATL, Vítor Costa, destaca, por sua vez, que é essencial apostar na criação de mais pontos de interesse turístico, investir em serviços de transporte e infraestruturas, reforçar a dinamização do Turismo de Negócios e a promoção externa através de ferramentas digitais.

“No ano em análise, a Região de Lisboa consolidou a excelência na ‘performance’ da hotelaria, com 1.147,7 milhões de euros de proveitos, 14.496 mil dormidas e 6.269 mil hóspedes, enquanto o RevPar (preço médio por quarto disponível) cresceu 7,4%, para 77,66 euros, e a taxa de ocupação atingiu os 76,85%. O Aeroporto de Lisboa registou um aumento médio de passageiros de 8,9%, o que significou mais 2,368 milhões do que em 2017, alcançando um total de 29,031 milhões. Já os cruzeiros no Porto de Lisboa refletiram um aumento de 10,9% de passageiros – de 521.042 para 577.603”.

Em 2018, a ATL refere ter apoiado a realização de “eventos de interesse turístico”, nomeadamente, e entre outros, o Festival Eurovisão da Canção, a Web Summit, a Gala Michelin e a Gala dos World Travel Awards, ao mesmo tempo que “promoveu centenas de eventos através do site Visit Lisboa (837), do guia Follow Me (331) e do Canal Lisboa (407)”.

Lisboa recebeu em 2018 “três importantes distinções nos prémios World Travel Awards: “World’s Leading City Destination”, “World’s Leading City Break Destination” e “Europe’s Leading City Destination””, reforçam.

Recorde-se que de acordo com um estudo da Deloitte realizado para a ATL, em 2017 o Turismo gerou, direta e indiretamente, mais de 13,7 mil milhões de euros e foi responsável por 182 mil postos de trabalho na Região de Lisboa. Face aos resultados apresentados, estima-se, assim, que a produção total do setor na Região corresponda a 19,7% do Produto Interno Bruto (PIB).

MSF // JNM

Lusa/Fim

Deixe uma resposta