Lucros da Media Capital sobem 4% em 2017 para 19,8 milhões de euros

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Os lucros da Media Capital subiram 4% em 2017, face ao ano anterior, para 19,8 milhões de euros, “por força da melhoria dos impostos sobre os rendimentos e dos resultados financeiros”, anunciou hoje a dona da TVI.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Media Capital adianta que o resultado líquido aumentou face a 2016 “por força da melhoria dos impostos sobre os rendimentos e dos resultados financeiros, não obstante a contribuição de diferenças cambiais desfavoráveis em cerca de 0,5 milhões de euros”.

Relativamente ao último trimestre do ano passado, a dona da TVI refere que o “resultado líquido alcançou 10,1 milhões de euros, 2% inferior ao registado em 2016”.

No ano passado, os rendimentos operacionais recuaram 5% para 165,5 milhões de euros, enquanto o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) atingiu 32,2 milhões de euros, uma quebra de 3%.

No último trimestre do ano passado, os rendimentos operacionais subiram 1% e o EBITDA registou uma queda de 8%.

No ano passado, os rendimentos operacionais de televisão caíram 4% para 136,1 milhões de euros, os da produção audiovisual recuaram 21% para 31,9 milhões de euros, enquanto os da rádio subiram 4% para 18,5 milhões de euros.

“Em 2017, os rendimentos de publicidade ficaram 2% [118,9 milhões de euros] aquém do valor atingido em 2016. Contudo, é importante realçar que no quarto trimestre os rendimentos de publicidade apresentaram um crescimento de 3% [35,9 milhões de euros]”, refere a Media Capital, em comunicado.

“No segmento de televisão, a publicidade registou uma variação negativa de 3% [para 98,1 milhões de euros] no acumulado do ano, embora revelando uma subida de 3% no derradeiro trimestre”, adianta.

O EBTIDA da televisão diminuiu 2% para 32,9 milhões de euros no acumulado do ano, enquanto no terceiro trimestre a queda foi de 9%.

O resultado operacional da TVI registou uma quebra de 3% para 30 milhões de euros

“De destacar o esforço de redução dos gastos operacionais, os quais tiveram um decréscimo de 5% face ao período homólogo acumulado (+6% no trimestre)”, refere a Media Capital, acrescentando que os outros rendimentos do segmento de televisão (TVI e os restantes canais), que englobam entre outros proveitos de cedência de sinal e serviços multimédia, recuaram 8% no acumulado, para 38 milhões de euros.

Na produção audiovisual, que inclui a Plural, os gastos operacionais diminuíram 17% para 32,2 milhões de euros, e o EBITDA passou de 1,4 milhões para 320 mil euros negativos.

Em Portugal, os rendimentos operacionais do segmento da produção audiovisual “recuaram cerca de 16% em termos homólogos, refletindo sobretudo uma redução forte da atividade de produção televisiva” e a atividade operacional da Plural Espanha “encontra-se em níveis residuais, com a estrutura adaptada para atender às oportunidades comerciais identificadas”.

A redução do EBITDA, refere a Media Capital, foi influenciado “pela menor atividade em ambos os países, mas que percentualmente e em termos absolutos foi muito mais acentuada em Espanha”.

Já na rádio, as receitas de publicidade aumentaram 5% para 17,7 milhões de euros, o EBITDA subiu 21% (6,5 milhões de euros) e o resultado operacional cresceu 51% para 5,4 milhões de euros.

Os gastos operacionais diminuíram 3% para 12 milhões de euros.

O investimento (CAPEX) recuou 36% para quatro milhões de euros, com o da televisão a cair metade para 1,6 milhões de euros, em termos homólogos.

No que respeita ao endividamento, a dívida líquida diminuiu no ano passado 3%, face a 2016, para 95,2 milhões de euros.

“O grupo Media Capital mantém assim uma confortável estrutura de capital”, conclui.

ALU // JNM

Lusa/Fim

Deixe uma resposta