Mondi novamente em máximos

Tiago Esteves
Ao contrário do que acontece com as suas congéneres Portuguesas (a maioria delas, pelo menos), a Mondi continua de vento em popa e entrou novamente em máximos. Depois de ter, inclusive, ameaçado pôr fim ao bom momento com a quebra do range de lateralização no início do ano, não restam agora dúvidas da sua força. A quebra em alta das 1612 libras, anterior máximo relativo, foi apenas consequência disso. Quando um título entra em máximos, dificulta-nos um pouco a vida por se tornar mais imprevisível. Ficam agora apenas válidas e visíveis as referências para stop, não havendo para já quaisquer resistências à vista. E, neste momento, esse ponto de stop estará nas 1531 libras. Não para o longo prazo, mas pelo menos para o médio prazo. O compromisso desse ponto, que já na consolidação anterior era relevante, poderia levar a uma aproximação à zona dos 1260.

Já no gráfico horário, temos referências mais próximas. De forma muito semelhante ao que se passa no timeframe diário, também aqui temos uma marca de suporte cuja quebra poderia gerar um movimento descendente, e que também já foi referência anteriormente. É, neste caso, a marca das 1599 libras. Gerando-se o seu compromisso, poderemos aproximar-nos rapidamente da zona das 1548. Ainda assim, mesmo que se dê o compromisso desse ponto, não há sinais de inversão nos timeframes superiores. É importante, no entanto, ir mantendo atenção sobretudo à aproximação às 1531.

Deixe uma resposta