Mota Engil continua forte no médio prazo

Tiago Esteves
Já aqui expressei por diversas vezes o meu optimismo de médio prazo relativamente à Mota Engil. Os últimos desenvolvimentos só vêm suportar este optimismo, já que o título se tem aguentado de forma bastante sólida ao ciclo correctivo de curto prazo e parece estar a consolidar para quebrar a resistência. A bem da verdade, se analisarmos o movimento correctivo de Setembro, constatamos que o mesmo só se acentuou depois de uma consolidação junto à resistência. É, portanto, possível que se siga a esta consolidação um mínimo relativo mais pronunciado, mas que ainda assim deve ser superior ao anterior. Diria, fazendo um pouco de futurologia, que o preço poderá retrair até à zona dos 1,6€ antes de tentar novo ataque à resistência. Considerando que a mesma tem vindo a ser violada consecutivamente no sentido ascendente, não é expectável que resista a mais um ataque forte.

No gráfico horário, acabamos de assistir ao atingir da projecção de um padrão de inversão, e à imensa volatilidade que foi gerada posteriormente por motivos externos. Se descontarmos as velas que foram fruto da volatilidade para termos uma imagem mais límpida do contexto, vemos que pode estar a formar-se neste timeframe um padrão top que confirmaria a minha teoria. A activar-se, teria o potencial de atirar o preço para a zona dos 1,6, originando assim uma correcção um pouco mais prolongada. Importa portanto atentar no curto prazo aos 1,74€, que são nesta fase o ponto que eu considero como fronteira a preservar.

Numa perspectiva negocial de médio prazo, importa estar atento a duas marcas no gráfico diário. Enquanto suporte, aos 1,538€. São o mínimo relativo mais importante do gráfico neste momento, e não podem ser quebrados em baixa, a custo de podermos ter uma inversão de ciclo. De um ponto de vista mais optimista, à resistência nos 1,81€ que se prolonga já enquanto zona até aos 1,85. Em caso de quebra, o título deixa de ter obstáculos de relevo até aos 2€, e a sua quebra significaria certamente uma arrancada de luxo para a Mota Engil.

Deixe uma resposta