Mudanças de política monetária nos EUA entre os riscos para a economia global em 2018

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Os efeitos da mudança de política monetária nos EUA e o abrandamento “forçado” do crescimento da China lideram a lista de grandes riscos globais identificada pela Crédito y Caución e hoje divulgada.

De acordo com o relatório produzido pela empresa de seguros de crédito, embora o cenário de referência seja o de “uma política de ajuste bem orientada e direcionada pela Reserva Federal”, existe uma probabilidade moderada de que o crescimento das taxas de juros leve a que “os fluxos de capital se afastem das economias emergentes”, o que teria um forte impacto na economia global.

“Dificultaria o acesso financeiro e as oportunidades de crescimento. Nesse cenário, empresas, famílias e governos em todo o mundo enfrentarão custos financeiros mais elevados”, explica o relatório.

O segundo risco mais importante para 2018 será o de “uma intensa desaceleração” do crescimento na China.

“A administração chinesa demonstrou de forma consistente a sua capacidade e disposição para manter os objetivos de crescimento do PIB [Produto Interno Bruto] para a economia através de políticas fiscais e monetárias, o que afasta a probabilidade de uma queda repentina no crescimento económico. No entanto, as vulnerabilidades na economia, e mais especificamente as relacionadas com o setor financeiro, continuaram a crescer em 2017”, refere.

“Com estes riscos agora elevados, a probabilidade de um abrandamento forçado aumentou, embora ainda seja considerada entre baixa a moderada”, sinaliza.

O relatório divulgado pela seguradora de crédito cita ainda outros possíveis acontecimentos, que considera mais improváveis e com menor impacto potencial na economia global, como o aumento do protecionismo dos Estados Unidos e a reação dos seus parceiros comerciais, como a China, a volatilidade do preço do petróleo, que teria especial impacto nas economias importadoras de crude, como a zona euro, os riscos geopolíticos, agravados no Médio Oriente e na Península da Coreia, ou uma correção brusca dos mercados financeiros.

ICO // CSJ

Lusa/Fim

Deixe uma resposta