Não há maneira de a Soares da Costa se levantar

Tiago Esteves
Depois de a Soares da Costa ter quebrado em baixa os 38 cêntimos acabei por fechar a minha posição, ao mesmo tempo que perdia grande parte do meu entusiasmo com esta cotada. A verdade é que continuo a receber alguns pedidos de análise a este título, que deixou muitos investidores na expectativa de melhores dias. Entre as dúvidas e a esperança depositadas na nova estrutura da empresa, o potencial efeito benéfico tarda em aparecer. E tecnicamente as coisas não estão bonitas…

Depois da quebra em baixa da linha de tendência, o título fez um triângulo de consolidação descendente e acabou por quebrá-lo também em baixa. Nesse mesmo triângulo foi notória a pressão vendedora, já que o habitual 4º toque na sua face ascendente acabou por não se verificar. Após o breakout descendente, o título fez o que se esperava e acelerou as quedas até ao ponto de projecção.

Neste momento, depois de um lower-high, temos a cotação prestes a decidir-se por um caminho: ou quebra em baixa os 17 cêntimos e continua o seu trajecto descendente em direcção aos mínimos, ou quebra os 21 cêntimos em alta, quebra a consolidação em alta, e altera todo o panorama negativista que a rodeia. Confesso que não tenho muita confiança neste segundo cenário, dado o volume anémico durante o rally ascendente. Ainda assim, não o colocarei para já de lado.

Há ainda um terceiro cenário, que será eventualmente o mais provável: uma consolidação nesta zona. Se a consolidação acontecer falaremos à posteriori sobre ela. A todos os que estão dentro, tenham atenção à quebra do suporte. Se este não se aguentar, a probabilidade de termos uma ida a mínimos não deve ser descartada. Eu sei que a mensagem não tem muito de poética, mas não culpem o mensageiro! 🙂

Deixe uma resposta