Navigator (ex Portucel) continua muito aquém das expectativas

Tiago Esteves
A Navigator, ex Portucel, abre o ciclo de análises ao sector do papel após uma renhida luta com o sector do retalho. Depois de um H&S falhado em início de 2016, e de nova tentativa gorada em Maio (este não chegou sequer a ser activado), à terceira foi de vez. O preço conseguiu activar e cumprir a projecção de novo padrão de inversão em Julho, ultrapassando a expectativa mínima e aproveitando a boleia para uma reacção em alta digna de nota. Inverte-se agora o sentimento, após a quebra com estrondo do suporte nos 2,76€, e isso leva-me a preocupar com o futuro de médio prazo do título. Tudo aponta, em termos técnicos, para a continuidade desta reacção descendente. Diria que existe espaço para um pullback ao suporte quebrado, mas não há grande margem técnica para além disso. A projecção aponta para os 2,49€, e até agora os padrões de inversão no sentido ascendente ainda não falharam (ao contrário do que tem sucedido no sentido inverso, sinal de fraqueza da cotação).

No gráfico horário é mais nítida a importância da zona de suporte quebrada. Imediatamente após o breakout, a cotação desabou. Tendo encontrado mais tarde um pequeno ponto de reversão, está neste momento novamente apoiada num suporte . Parece-me contudo improvável que os 2,64€, marca que representa um suporte incomparavelmente mais fraco que o anterior, detenham uma retracção um pouco mais forte. Além desse ponto de atenção, convém vigiar também o mínimo relativo neste timeframe (2,57€). A menos que o título comece a reagir à contrariedade neste preciso ponto, será provável que venhamos brevemente testar novos mínimos. Convém por isso reforçar atenções relativamente a estes pontos-chave, e obviamente evitar entradas longas até que sinais mais animadores voltem a surgir.

P.S.: A sondagem na lateral foi resetada e o sector do papel foi retirado. Podem ir votando para a próxima ronda

Deixe uma resposta